Inversão de valores

Um plano bem orquestrado e, até aqui, cuidadosamente executado por seus organizadores e generosos patrocinadores, tem procurado canalizar as dúvidas e indagações decorrentes da investigação, confusa e ainda inconclusa, do caso Fernanda Lages. Nessa linha, em pouco tempo, alguém vai dizer que Fernanda Lages está viva, fugiu e mora em outro país, quando jaz em um túmulo frio, sob as lembranças e saudade de familiares e amigos. É interessante observar que, a partir de uma obra de ficção, e através de determinados setores da imprensa, alcançáveis pelos mesmos métodos, se tente passar para a opinião pública que as acusações em aberto, contra eventuais culpados, seja uma divagação ou um desejo pessoal deste jornalista, o que jamais seria. Embora tenha havido investigações da Polícia Civil e da Polícia Federal sobre o tema, há divergências entre os delegados de primeira hora, médicos legistas que fizeram perícia no corpo da estudante, além de questionamentos e linhas de investigação em andamento, sob a chancela de promotores de justiça, o que demonstra que muitas autoridades constituídas permanecem com as mesmas dúvidas: afinal, quem matou Fernanda Lages? Certamente, por ser um caso polêmico, e dividir opiniões, alguns podem acreditar na tese do suicídio. Esses, são a infinita minoria, quase insignificante da população, ou melhor, cuja tese só interessa mesmo para os supostos envolvidos, porque, em via contrária, quase todos, a grande maioria, beirando quase os 100 por cento, desconfiam de que ela foi assassinada, e um gigantesco esquema de proteção teria sido montado para proteger os autores de tão cruel e covarde assassinato. Não será esse jornalista quem vai levantar a espada de Dâmocles para colocar em alguma cabeça, mas também nada o fará calar sobre uma verdade necessária, que, até aqui, pelo que foi apresentado à sociedade, não se mostrou absoluta e incontroversa. Ajustar frases para dar efeito e conotação diversa, ou, de outra maneira, desenquadrá-las de seu contexto, são meios sorrateiros e infantis de tentar parecer a acusação um mero boato. Esse, sem dúvida, é o desejo de quem quer que os culpados permaneçam impunes: gerar incertezas e dúvidas, até porque, pelo Direito, o benefício da dúvida absolve o culpado. Se ainda haverá outra ou nova investigação sobre o caso, se a família vai conseguir juntar provas suficientes para demonstrar que Fernanda não cometeu suicídio, ou se a Justiça alcançará os culpados, o tempo, que é senhor da razão, tudo mostrará. Por enquanto permanece a inquietação de que os investigados da morte de Fernanda estão impunes ou, pelo menos, permanecem sob suspeita. Imaginando-se acima do bem e do mal, vestem-se de mantos supostamente castos, para esconder a torpeza e crueldade do caso. Se imaginam reverter a acusação, ou se lhes falta atinar para os chamados da consciência, ou se a verdade jamais será inteiramente demonstrada, tudo sugere uma prática perversa e perigosa de inversão de valores.

Firmino tirou férias após as revelações de delator da Odebrecht
Firmino tirou férias após as revelações de delator da Odebrecht

Lupa
Quem tem tempo e muita paciência para escarafunchar as delações da Odebrecht poderá encontrar uma situação de crime continuado. Essa circunstância pode colocar no rol dos suspeitos gente grande do Piauí, inclusive alguns que até aqui seguem como se imaculados fossem.

Relação
A relação da Odebrecht com políticos do Piauí vai além do pessoal já arrolado nos inquéritos abertos ou mandados abrir pelo ministro Fachin. Essa história da subconcessão da Agespisa, por exemplo, teria a empreiteira baiana como uma grande sócia oculta. O contrato de gaveta tem mais lama do que água.

Barbas de molho
Mesmo que tem o rosto liso e a cara de madeira, é razoável que, em face do andar dos acontecimentos, estejam eles com suas barbas de molho. No tsunami que se instalou após a lista de Fachin, as relações políticas imbricadas tendem a jogar todo mundo no mar de lama.

Lá vem!
O ex-ministro Antônio Palloci conversou ontem, durante duas horas, com o juiz federal Sérgio Moro. E foi logo dizendo: “Eu me prontifico a falar sobre tudo”.
Está provado que ninguém aguenta cadeia, por tanto tempo.

Férias do Fifi
Firmino Filho viajou, depois da divulgação da delação de Alexandre Barradas de que um primo seu teria recebido R$ 250 mil, de propina, negociada para que o prefeito criasse constrangimento à Agespisa e facilitasse a vitória da Odebrecht Ambiental no processo de subconcessão dos serviços de saneamento e esgotamento sanitário de Teresina.

O primo
Não é ‘Alberto’ e sim Arthur Carvalho, o primo de Firmino que o delator Alexandre Barradas citou em depoimento aos procuradores da República.
Arthur foi secretário de Finanças na segunda gestão de Firmino em Teresina.

Ausência sentida
Numa ligeira rusga entre os desembargadores Raimundo Eufrásio e Hilo Almeida, durante votação de processo no pleno do TJ, Eufrário saiu-se, ontem, com a surpreendente revelação: “Não se lê neste tribunal a Constituição Federal e o seu regimento interno”.

Assustador
Um a cada três integrantes da Câmara dos Deputados é alvo de inquérito (investigação preliminar que pode ou não resultar em processo) ou ação penal que, julgada, acaba em condenação ou absolvição.
É de se dizer que esses senhores estão todos bichados.

Recadastramento
Os servidores públicos, ativos e inativos, pensionistas e militares do Estado terão que fazer uma atualização cadastral a cada dois anos.
A ordem é do secretário de Administração Franzé Silva.

Sindicância
A presidente do STF Carmem Lúcia abriu uma sindicância para apurar o vazamento para a imprensa da lista do ministro Edson Fachin.
Os documentos foram assinados eletronicamente pelo ministro Edson Fachin no dia 4 de abril, vindo a público uma semana depois pela imprensa.
Agora muitas fontes dos jornalistas serão reveladas.

PIB
O valor pago pelo "setor de propinas" da Odebrecht entre 2006 e 2014 à classe política superou o PIB (Produto Interno Bruto) de 33 dos 217 países listados em um ranking do Banco Mundial a partir de dados do FMI (Fundo Monetário Internacional).
Ao todo, o setor movimentou aproximadamente US$ 3,37 bilhões, o equivalente a R$ 10,6 bilhões --entre os anos de 2006 e 2014.

Grilo chique
O pessoal que comprou imóveis no Alphaville tem não apenas um ponto de alagamento na porta de casa. O loteamento mais caro da cidade teria a dificuldade adicional de não se conseguir a escritura dos imóveis.

Ping Pong

O pé de ata

A deputada Belê leva o tio, o pouco letrado prefeito Gil Paraibano, para visitar uma escola em bairro da periferia de Picos. Querendo ser amável e popular com os alunos, Gil puxa conversa.
Gil: “Quando você crescer o que vai querer ser?”
A aluna: “Quero ser uma pediatra...”
Gil (pensando na fruta): “Não seria melhor você querer ser uma mangueira, que é um pé muito maior, a fruta é saborosa e dá até mais sombra?”

Publicado originalmente em dois de agosto de 2011.

Expressas

A Caixa já pagou R$ 15,1 bilhões em contas inativas do FGTS. Isso é mais que o PIB da cidade de Teresina.

Há mais buracos nas ruas de Teresina que na BR-343 entre as cidades de Água Branca e Floriano.

O governo do Piauí tem mais de dois mil imóveis em Teresina, segundo dados da Seadprev.