Rodoanel, apenas mais uma imoralidade

O telejornal Piauí TV, segunda edição da afiliada da Rede Globo em Teresina, exibiu na noite de hoje, mais um descalabro administrativo no Estado do Piauí. 

Há mais de sete anos, no início do governo de Wilson Martins-2011-2014, foi dado início a uma obra denominada de Rodoanel, que teria como finalidade desobstruir o trânsito da zona sul da cidade, com um desvio, saindo da BR-316 indo ao encontro da BR- 343 com destino à cidade de Altos.

A referida matéria informou que a construtora, que está à frente da obra durante todo esse período, informou ao governo do Estado do Piauí, mais precisamente à Secretaria das Cidades, responsável pelo empreendimento, que está abandonando  a obra , faltando ainda a construção de viaduto , terraplanagem e asfaltamento de três quilômetros.

Agora, o que deixa a perplexidade tomar conta de todos,  é o que leva uma obra tão pequena, levar tanto tempo para ser feita e ainda estar inconclusa e a empresa responsável pela obra, simplesmente fecha o canteiro de obras - já que é originária do Estado de Goiás - deixando uma obra que, segundo a matéria veiculada pela TV Clube, já consumiu de recursos do contribuinte da ordem de cento e trinta milhões de reais, deixando ainda trabalhadores na rua da amargura, com salários e obrigações sociais comprometidas.

Qual terá sido o valor inicial estipulado em contrato para realização desta obra, quantos aditivos não foram acrescidos ao valor inicialmente  licitado e a obra depois de mais de sete anos, não termina nunca?

Às vezes, ficamos a nos questionar, onde se encontram no Estado do Piauí, os órgãos de controle e fiscalização do país, tais como, Polícia Federal, Procuradoria Geral da República, Tribunal de Contas da União, Controladoria Geral da União, entes federais constitucionalmente responsáveis pela vigilância e auditagem sobre a correta aplicação dos impostos pagos pela população?

Que tipo de processos, se é que eles existem, podem estar  incursos, os  responsáveis pela adminsitração desses centro e trinta milhões ao longo desses mais de sete anos? 

A sociedade piauiense reivindica que essa verdadeira imoralidade administrativa, seja posta em pratos limpos, e os responsáveis por supostos desvios, sejam responsabilizados criminalmente, obedecendo o que preceitua o devido processo legal.

É isso.