Vereadora admite mentir para conseguir atendimento em Teresina para mulher que sangra há cinco meses em Timon

A vereadora mentiu por uma boa causa e pediu perdão pelo ato

Vereadora Cláudia Regina mentiu para salvar a vida de uma mulher
Vereadora Cláudia Regina mentiu para salvar a vida de uma mulher

“Tive que arranjar um endereço em Teresina para dona Iara ser atendida em Teresina e eu acredito que logo, logo, a cirurgia dela vai ser feita", a declaração corajosa foi feita pela vereadora Cláudia Regina (PMB) da Tribuna da Câmara, ontem (25), e por isso ela corre o risco de perder até o seu mandato, já que admitiu que faltou com o decoro, mas por não ter falado a verdade em benefício de um de seus municípes a vereadora não deve ser punida, apesar de haver gente do próprio governo questionando em rede social seu comportamento.

Dona Iara, para quem Cláudia Regina mentiu para beneficiá-la é a mesma senhora que a vereadora disse em discurso emocionado na semana passada que estava em seu gabinete implorando por um atendimento médico, pois estava há cinco meses sangrando, aguardando por um regulação entre os setores da Saúde do Maranhão e Piauí para fazer exames e uma cirurgia de histerectomia na rede de saúde do Piauí.

A saída, segundo Cláudia foi o retorno à uma prática horrenda e danosa, que humilha e tira das pessoas sua dignidade que nunca deixou de ser praticada pelos timonenses, mas que somente agora é revelada de forma contundente por uma parlamentar: muitos timonenses ainda mentem, forjam que moram em Teresina, na capital da Piauí, para serem tem direito universal à assistência médica, pois se não for assim eles morrem na fila de espera, como é caso de do Iara, denunciada pela vereadora Cláudia.

Por causa de sua atitude, de mostrar o que vem ocorrendo na saúde, especificamente no regulação do atendimento e assistência médica aos maranhenses, a vereadora disse estar sendo monitorada pelos setor político que entende que a ela, por ser da base do governo Luciano Leitoa, não pode tomar determinadas atitudes em favor do povo.

"Eu recebi uma mensagem no meu telefone que a pessoa dizia o seguinte, eu não estou entendendo o teu discurso na Câmara Municipal se você faz parte da base do governo do prefeito Luciano Leitoa como é que a senhora vai falar do governo do estado?”, disse a vereadora. E acrescentou que, "Eu quero dizer umas coisas aqui para os colegas e para quem mandou esta mensagem. Que eu estou sendo monitorada aqui na Casa, ora veja só! Monitorada por que? Eu não ando nem de tornozeleira eletrônica, eu sou uma cidadã de fato e de direito que estou aqui porque Deus me deu esse mandato e porque a população meu de 1.551 votos... E eu tenho certeza que o prefeito não mandou essa pessoa falar comigo”.