"Revezamento" de lider do governo na Câmara é proposto para que Luciano Leitoa não perca a maioria de vez

O "revezamento" é uma desculpa para afastar o líder José Carlos Assunção

José Carlos Assunção:
José Carlos Assunção:

A conversa era pra ficar muito reservada, mas vazou por um dos interlocutores.

Existe uma proposta circulando entre os nove vereadores da base do governo Luciano Leitoa para haver, a partir de agora, “um revezamento” na liderança do governo na Câmara Municipal de Timon.

Na verdade, a proposta de “revezamento” é uma desculpa para os vereadores se livrarem do atual líder da bancada José Carlos Assunção (PSB), que depois do anúncio da formação de um bloco parlamentar independente com os cinco vereadores da base, na semana passada, a situação ficou intolerável e os vereadores pensam em mudar o líder para que o governo Luciano Leitoa não perca a maioria na Câmara.

Essa maioria está “patenteada” quando os cinco  vereadores se juntam com os sete de oposição e formam o  grupo dos 12.

Essa formação está prevista somente para eleição da Mesa Diretora, que deve ocorrer a qualquer momento, por via judicial, ou por convocação da própria Mesa, que suspendeu eleição do pleito que seria realizada em 23 de fevereiro e não quer realizar a eleição em abril, data anterior à emenda aprovada pelos  vereadores que antecipou o pleito e que foi questionada e suspensa por pedido do líder do prefeito na Câmara.

O pedido de suspensão do pleito feito na véspera da eleição por José Carlos Assunção criou um embaraço dentro da base do governo e outros problemas externos que envolve o nome do vereador estão causando essa discussão de “revezamento”.

O "revezamento" já tem apoio de lideranças políticas de diversos partidos que compõem a Câmara e que dão sustentação politica ao prefeito Luciano Leitoa em seu segundo mandato.

O vereador José Carlos Assunção assumiu a liderança do governo, em 2015, quando o então vereador Raimundo Novaterra (PDT) deixou a cadeira na Câmara para assumir a Semdes.

José Carlos Assunção foi eleito vereador pela primeira vez em 2004. Durante o governo da ex-prefeita Socorro Waquim, ele exerceu essa função de lider do governo em seu segundo mandato.