Mulher sem autonomia é igual ao homem

                                  Lidiane Rocha: prefeita ostentação

Não é toda mulher que presta para fazer carreira na vida pública! É óbvio que estou me referindo ao fazer política. No governo federal a ex-presidenta Dilma Rousseff fracassou e muitas outras mulheres também fracassaram no Poder Executivo, por não se livrarem da tutela dos seus respectivos maridos. Cito como exemplo, a ex-prefeita ostentação e a sua sucessora do município de Bom Jardim, localizado no estado do Maranhão.

Eu que sempre defendi maior participação das mulheres na vida pública, com essas experiências mal sucedidas, hoje eu estou com um pé atrás quando o assunto é mulher se eleger para o Poder Executivo e Legislativo. Ocorre que a maioria das mulheres que optam pela vida pública, não tem personalidade e própria e os seus maridos acabam sendo o governador e o prefeito de fato. Não de direito é claro.

Como as mulheres brasileiras são criadas na mesma cultura política dos homens e geralmente as mulheres entram na vida pública pelas mãos dos seus pais ou maridos, o resultado acaba sendo sempre o mesmo. Não importando se quem ocupa o cargo é um homem ou mulher. 

Convém fazer aqui um reparo: é evidente que não podemos comparar a ex-presidenta Dilma Rousseff com a ex-prefeita ostentação de Bom Jardim. Dilma Rousseff que foi considerada pelo maior brasileiro, Antônio Ermírio de Moraes como sendo uma mulher honesta. Em tempo: o fracasso do governo Dilma Rousseff pode ser creditado na conta Lula e do Partido dos Trabalhadores (PT) que a tutelaram e nos momentos críticos do seu segundo governaram a abandonaram.