O discurso anticorrupção ecoará nestas eleições

Quem pensa que o eleitor brasileiro está alienado e despolitizado, pensa errado, porque individualmente às pessoas revelam toda sua inconformidade com os rumos que à política nacional tomou, com a corrupção, a sem cerimônia e desfaçatez se impondo.

O que se ouve em conversas reservadas ou em um bate papo informal sobre política é que como ela está não pode continuar. Isso quer dizer que embora o eleitor brasileiro revele indiferença quanto ao processo político, ao deixar de participar de eventos de natureza política, ele tem consciência de que na hora de votar, a sua revolta para com os nossos políticos se manifeste, votando no menos ruim e ignorando o político tradicional e profissional.

O candidato que ousar assumir um discurso anticorrupção, embora a nossa classe política esteja desacreditada, conseguirá despertar o interesse do eleitor que é contra o político corrupto. E aquele que insistir em apelar para a demagogia barata, provavelmente será expurgado da cena política nacional pelo eleitor decepcionado e revoltado com a imoralidade e a impunidade reinante neste país.

É óbvio que o eleitor de que trata este texto - é o eleitor das grandes cidades, onde a massa de informação que ele recebe é muito grande e suficiente para que ele forme uma opinião e escolha para votar num político que tenha uma biografia recomendável e que tenha um discurso coerente e comprometido com a ética, a moral e com a construção de um país que seja respeitado interna e externamente.