Teresa Britto é reeleita já polemizando: "vai acabar com as carroças"

Teresa Britto parece uma máquina incansável de trabalho

Com 4.926 votos, a psicóloga Teresa dos Santos Sousa Britto, a “Teresa Britto”, foi reeleita para o seu quarto mandato na Câmara Municipal de Teresina e já anuncia três novos projetos, um deles polêmico que deverá por fim as carroças puxadas por animais que ainda são vistas pelas ruas de Teresina.

Antes de repercutir e polemizar o assunto, Teresa Britto, do Partido Verde, defensora ferrenha dos animais e da natureza, faz questão de explicar que as pessoas que sobrevivem usando carroças não ficarão desamparadas. “Já vou apresentar o projeto na semana que vem. Será o moto-lixo. Os carroceiros deverão trocar os animais que puxam as carroças por motos. Já é assim no interior, onde os vaqueiros já usam motos nas boiadas. Aqui na capital, o Poder Público Municipal faz disponibilizar linhas de crédito para os donos de carroças se adaptarem. Por fim, aquele que não conseguir, devido a idade e por falta de habilitação, deverá ser locado por terceirizadas no serviço de limpeza da cidade”, observa a vereadora.

As moto-lixo deverão ser usada na coleta de lixo de Teresina, igualmente são usadas carroças hoje. “Não tem segredo, é só trocar o animal pelas motos. As carroças deixarão de ser puxadas por tração animal para tração motor. Assim, estaremos respeitando a lei de proteção dos animais”, ensina Teresa Britto.

Outro projeto que a vereadora já trabalha é o “Calçada Verde”, que, praticamente, já funciona no residencial Eduardo Costa. Visa em arborizar as calçadas. “Combate o calor, a poeira, poluição sonora, o efeito estufa, filtra o ar que respiramos”, diz a vereadora.

Teresa Britto parece uma máquina incansável de trabalho. “Já está quase pronto também o projeto que reserva a metade do Lineu Araújo para diagnosticar doenças da mulher. Estamos também lutando pelo Hospital Veterinário do Município”, diz.

E para finalizar, a vereadora disse que espera que o Ministério Público fiscalize a questão das vaquejadas em Teresina, já que em matéria jurídica trata-se de um ato inconstitucional decidida pela mais alta corte da nação.