Jovens piauienses que nem estudam, nem trabalham

As atenções da educação para os jovens que não estudam merecem estudos imediatos à medida que os índices levantados pelo IBGE são muito altos.

Na mesma pesquisa são apontados registros de jovens que simultaneamente não estudam e nem trabalham. Esta é uma situação que deve ser considerada com muita dedicação, porque em ambas as condições não há perspectivas de um futuro promissor para uma vida em cidadania destes jovens.

20,6% dos piauienses entre 15 e 29 anos formam esta estatística. Embora um número mais baixo que a média nacional, a situação carece de atenção educacional, principalmente, já que a qualificação é sempre considerada na hora da inclusão no mercado de trabalho.

Um planejamento auspicioso na modalidade EJA, considerado o empenho existente nesse sentido, deve perseguir maior inclusão destes jovens nas escolas, o quanto antes.