Sentimento de brasilidade

Como bem dizia o professor Agenor Almeida, de saudosa memória, no ano de 1971, na Academia de Polícia Militar do Derby, em Recife – PE: “é preciso ter brasilidade porque este país é um gigante e ele pode com todos nós nos ombros”. O professor complementava em uma de suas belas aulas aos Cadetes da Polícia Militar do Piauí, naquele vizinho Estado - o patriotismo e o civismo caminham juntos de mãos dadas num país em que o povo ama a sua terra. O que seria civismo para ele? Um simples gesto de fechar uma torneira derramando água aleatoriamente. O zelo com a água, àquela época, já era tratado como um exemplo de uma preciosidade de bem público, do qual, todos se beneficiariam ao longo da existência. Mas como o professor Agenor dizia o sentimento de brasilidade nunca se acabará, porque os brasileiros de boa fé estão sempre alerta para defender a integridade patriótica e cívica desta nação. Hoje, com esta falta de água, me vem esta grata lembrança dos exemplos de civismo repassados de forma simples, mas amplamente abrangente e de uma forma didática das mais aproveitáveis possíveis da sala de aula. Fica este registro como exemplo da importância do zelo pela água, para que ela chegue as torneiras da ampla maioria que tem sede.