Burocratização onera a vida pública

Ah! Quantas coisas boas para o bem público deixam de ser realizadas por causa da burocracia!

Sutilmente quase não se percebe que a demora no vai e vem de documentos de uma para outra repartição onera expressivamente os cofres públicos. A burocracia cresceu tanto que desestimula a criação de novas empresas.

Sem dados oficiais que se comprovem, há expectativa de que milhões de reais são gastos com a burocracia. Enquanto não se dá soluções para os casos da vida pública e os interesses econômicos da iniciativa privada, o tempo consome material, energia, combustível, recursos humanos, sem os retornos sociais esperados.

Os gastos são mais onerosos quando se referem a embaraços na criação de empresas, porque a lentidão neste setor afeta sobremaneira a produção, o trabalho e avanços econômicos.

Chamam a atenção os esforços pela desburocratização com regras próprias diferenciadas entre unidades da federação. Há estados que dificultam menos a criação de novas empresas. Há relatos na mídia de que neste ou naquele estado é mais fácil abrir ou fechar uma empresa.

O governo federal, no dia 18 deste mês de janeiro de 2017 fez alusão a boa atuação do SEBRAE, como órgão de bastante credibilidade e competência, na estimulação à desburocratização de abertura de novas empresas.

Um trabalho incessante de desburocratização é mesmo uma boa ação do governo. Estimula o empreendedorismo notadamente oriundo da sociedade civil organizada, que acredita nas possibilidades de recuperação e crescimento da economia.