Vivendo o amor

Estamos vivendo tempos difíceis. É o tempo de um cumprimento profético. “Por causa do aumento da maldade, o amor de muitos esfriará.* (Mateus‬ 24‬:12‬ ).

As adversidades que experimentamos na vida se encarregam de sufocar a nossa alma, cauterizando a sensibilidade, nos tornando indiferentes com toda a realidade.



O amor é o caminho que Deus estabeleceu para que o mundo fosse  realmente tudo aquilo que seu divino coração planejou.  Mas você sabe que  tivemos a intervenção da desobediência, fazendo com que tudo o que era perfeito, se tornasse um caos. O aumento da maldade no coração do homem é o que de fato está fazendo o amor sumir.

Amor não é um sentimento, é um caminho, uma decisão e escolha. Na verdade, o amor é uma pessoa que se chama Deus. Porque Deus é amor, disse o apostolo João.  De maneira que, se não amamos é porque não temos Deus dentro de nós. Portanto,  conclui-se  que o nível de maldade no mundo hoje é um retrato da falta de Deus.
Percebe-se que a maldade tem sobressaído ao invés  do amor. Não seria a hora de buscar intensamente a essência do criador?

Como praticar o amor?

Se alguém tem fome, dá-lhe de comer, se tem sede, faz o mesmo...
Não é suficiente apenas sentir pena das pessoas, se condoer com a situação! Alguém tem que fazer algo. Foi o que fez o filho de Deus, Ele viu a situação da humanidade e veio resolver com a doação da própria vida.

Quando devo amar? Comece agora! Onde? Na sua própria casa. A família é a origem da sociedade. Se conseguirmos amar em nosso ambiente familiar, teremos capacidade de amar também os de fora. Muitos de nós expressamos amor para  pessoas lá fora e não somos capazes de dizer um "eu te amo" para alguém da família. Quem sabe você é alguém que negou algo que seus irmãos pediram emprestado, mas soube socorrer com alegria quando um "amigo" pediu a mesma coisa.  Isso é: inversão de valores. O certo é praticar o amor primeiramente  em nossa casa e a continuação desse amor é automático e se expande para outras pessoas.

Essa parte da Bíblia Sagrada que você tem na sua casa é bastante conhecida: " O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não se vangloria, não se ensoberbece,
não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal;
 não se regozija com a injustiça, mas se regozija com a verdade;
 tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta."
I Coríntios 13: 4-9

Quando o marido diz à mulher que não a ama mais, depois de ter vivido tanto tempo, uma historia de amor, com certeza ele está confuso e provavelmente,  não está exercendo o verdadeiro amor.
O marido ama a mulher respeitando-a, cuidando, suprindo as necessidades, expressando seu valor de companheira, mãe, sendo fiel além de conversas saudáveis.
 A mulher  ama o marido, honrando-o, respeitando e reconhecendo sua hombridade sendo sua auxiliadora em tudo que for necessário.

Deus te abençoe !