Bons hábitos alimentares são essenciais na terceira idade


 
 

Quem tem um idoso em casa deve ter bastante cuidado com sua alimentação. A dieta alimentar na terceira idade é bastante diferente das demais etapas da vida e inclui os bons hábitos alimentares e a preparação dos alimentos, que vão auxiliar no processo de mastigação e deglutição do idoso.

A nutricionista Larissa Valéria, especializada em nutrição de idosos, explica que manter bons hábitos alimentares é consumir alimentos saudáveis que ajudam a prolongar a longevidade e a prevenir o aparecimento de doenças como: colesterol alto, diabetes, hipertensão e sobrepeso. “No caso dos idosos a maior demanda é por proteínas. Em geral, eles apresentam perda muscular e pode haver redução da capacidade de mastigação, deglutição e digestão”, diz a nutricionista.

Para Larissa, é importante também o tipo de preparação dos alimentos. Estes devem ser cortados em pequenos pedaços, moídos, ralados e até desfiados. Para facilitar a digestão é interessante incluir na dieta alimentos ricos em fibras como, mamão papaia, abacaxi, maçã, as frutas de modo geral, por serem ricas em fibras e vitaminas.

Outra dica importante para quem cuida da alimentação de idosos é fracionar o cardápio em cinco a seis refeições por dia. Deve fazer parte deste cardápio, alimentos que também ajudam a manter reações cerebrais saudáveis como, peixes, gema de ovo, abacate e sementes oleaginosas.

O leite também é necessário, pois é rico em cálcio, mas não deve ser incentivado nos casos em que o idoso tenha problemas gastrointestinais. “Se houver tais problemas, ele pode ser substituído por outros alimentos ricos em cálcio como, brócolis, couve, espinafre, sardinha, linhaça, aveia, chia, entre outros”, diz Larissa Valéria.

A alimentação rica em ferro também é importante na dieta do idoso. Os alimentos ricos em ferro são, feijão, rúcula, agrião e carne vermelha. Aliado a estes, temos os ricos em vitamina C como laranja, limão e acerola, que ajudam na absorção do ferro. Os ricos em vitamina A como cenoura, fígado bovino, batata doce, manga e tomate também podem fazer parte do cardápio.

A nutricionista, que trabalha a bastante tempo com dieta para idosos, sugere ainda que o cuidador mude a forma de apresentação do prato, para que o idoso ache mais atrativo. O sal em excesso é o grande causador de doenças, por isso, a nutricionista orienta que se use “somente temperos naturais como: tomate, cebola, cheiro verde, ervas frescas e sal com moderação”.

Mas não basta só a alimentação, o idoso deve frequentar seu médico diariamente e fazer exames de rotina para verificar suas taxas. Cuidar da saúde é também manter uma rotina de exercícios físicos para quebrar o sedentarismo e evitar o aparecimento de doenças graves.

Para maiores informações, entre em contato através do (86)98872 5841

Fonte:LealComunicação&Assessoria