1. Blogs
  2. Arimatéia Azevedo
  3. Malhando em ferro frio
Publicidade

Malhando em ferro frio

Os deputados estaduais do Piauí vão ter um encontro na próxima terça-feira com dirigente da concessionária de energia do Estado, a Equatorial. O objetivo da reunião é entender as mudanças que a empresa está fazendo no quadro de pessoal. Não são poucas. Foram demitidos recentemente todos os engenheiros mais antigos, advogados, 200 eletricistas e 100 leituristas. A companhia deverá promover um turnover completo em seu quadro de pessoal, por mais que gritem os sindicalistas e interfiram os políticos. Trata-se de uma medida para reduzir os custos salariais, o que deve implicar em um processo o mais amplo possível de terceirização de mão de obra ou de contratação direta por salários sempre menores do que os anteriormente praticados pela concessionária, quando estatal. Os deputados estaduais querem que as demissões sejam cessadas, mas vão dar com os burros n’água porque a Equatorial pretende seguir com sua política de um radical corte nas despesas com pessoal – porque não quer repetir no balanço os números registrados nos últimos dez anos, de prejuízos que somados superam a casa dos R$ 2 bilhões, dinheiro suficiente, por exemplo, para fazer todo o investimento em novas subestações e redes de transmissão e distribuição que podem melhorar a qualidade da energia, além de reduzir perdas que levam outras dezenas de milhões de reais pelo ralo.

E agora, Rui?

Rui Barbosa se visse o que ocorre no Piauí repetiria: “De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto.”
Acabaram de afastar o promotor de Luís Correia Galeno Coelho que denunciou malfeitorias que envolvem até magistrados. Banalizaram a corrupção. 
Acaba não, mundão! 

Medalha

Desde a semana passada, a cidade de Teresina tem mais uma medalha, a do mérito agropecuário Mariano Castelo Branco. O decreto assinado por Firmino Filho indica que a escolha dos homenageados será feita pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e pela Superintendência de Desenvolvimento Rural.

Renato Berger (Foto: reprodução internet)

Sem cargo

Depois de ter sido tirado do cargo de secretário municipal de Esporte e Lazer e abrigado em uma comissão de assessor especial da Secretaria de Planejamento, Renato Berger agora é um sem cargo. Semana passada ele foi exonerado por Firmino Filho.

Com cargo

A mesma caneta que o prefeito usou para despachar Renato Berger deve ter servido para nomear Luiz Humberto Silveira, o Sebim, agora ocupante do cargo de assessor de coordenação da Semplan.

Sem fronteiras

Já não era sem tempo um debate entre os gestores da saúde de Teresina e de Timon. Na sexta-feira passada, Charles da Silveira (Teresina) e Márcio Sá (Timon). As duas cidades devem acertar as pontas para depois acertar as contas.

Teresa Britto (Foto: Lucas Sousa / Portal AZ)

Como assim?

Teresa Britto (PV) usou a expressão extorsão para definir um aumento de R$ 30 para R$ 200 de taxa cobrada por veículo de transporte de carga na Ceasa. Como a deputada estadual não informou se a taxa é diária, semanal, quinzenal ou mensal, fica difícil dar razão a ela ou à companhia.

E Barras?

O ex-prefeito de Barras, José Ribamar Pereira, o Cabelouro, é cogitado para ser candidato do MDB a vereador em Teresina. Corre o risco sério de repetir o fiasco de quando tentou ser prefeito de Boa Hora e levou uma surra de votos do adversário Antônio Resende.

Aliás

Talvez caiba a Cabelouro saber uma máxima de José Raimundo Bona Medeiros, ex-governador do Piauí, derrotado na tentativa de ser prefeito de União, em 2008: não é a gente que deixa a política, é a política que deixa a gente.

Sem margens

As estradas estaduais do Piauí, que não têm acostamento, estão ficam sem margens, porque o mato tomou conta de tudo e, sem o roço, o que já era muito ruim está ficando muito pior.

Átila Lira (Foto: Divulgação)

Vem cá!

Enquanto Paes Landim dá sinais de que acatou a corte do MDB para deixar o PTB, o partido controlado por João Vicente Claudino não perde tempo e quer em seus quadros o deputado federal Átila Lira, que ensaia uma volta ao DEM, de onde saiu no tempo em que a sigla ainda era PFL.

Tiago Vasconcelos (Foto: Lucas Sousa / Portal AZ)

Falta o decreto

O ex-vereador Tiago Vasconcelos informa que foi convidado e aceitou ocupar a superintendência do Incra no Piauí. Para assumir está faltado o nada absta e uma assinatura do Palácio do Planalto.

Ping-Pong
Distância conveniente

Ubiraci Carvalho chega ao Bar do Mijo acompanhado de seu assessor de tráfego, o famoso Seu Zé. Cumprimenta os presentes, no gesto raro e admirável e parte para o bate-papo com os amigos. O assunto, claro, é sucessão municipal. Até que Adão Wallace, provoca.

Adão: “Bira, como é que tu vai se sair dessa sinuca de bico de ter um candidato do teu partido a Prefeitura de Teresina, o Afonso Gil, ser amigo do Sílvio Mendes, ser secretário do governo do PT, que tem a Flora como candidata, e ainda ser amigo do Mão Santa e da Adalgisa, de quem tu gosta e deve favores?”
Ubiraci: “Adão, não tem problema nenhum. Eu voto é em Simplício Mendes;

Originalmente publicado em 31 de maio de 2004.

Expressas 

Em Brasília há uma piada segundo a qual o presidente Bolsonaro tem compulsão por atravessar a rua para escorregar na casca de banana.

Pode ser só uma piada, mas não se tem notícia de um presidente da República que produza crises para si mesmo.

Outro problema parece ser o de um presidente que não confia em ninguém, a não ser em seus filhos, tributários da usina de crises.

Os deputados estaduais do Piauí vão ter um encontro na próxima terça-feira com dirigente da concessionária de energia do Estado, a Equatorial. O objetivo da reunião é entender as mudanças que a empresa está fazendo no quadro de pessoal. Não são poucas. Foram demitidos recentemente todos os engenheiros mais antigos, advogados, 200 eletricistas e 100 leituristas. A companhia deverá promover um turnover completo em seu quadro de pessoal, por mais que gritem os sindicalistas e interfiram os políticos. Trata-se de uma medida para reduzir os custos salariais, o que deve implicar em um processo o mais amplo possível de terceirização de mão de obra ou de contratação direta por salários sempre menores do que os anteriormente praticados pela concessionária, quando estatal. Os deputados estaduais querem que as demissões sejam cessadas, mas vão dar com os burros n’água porque a Equatorial pretende seguir com sua política de um radical corte nas despesas com pessoal – porque não quer repetir no balanço os números registrados nos últimos dez anos, de prejuízos que somados superam a casa dos R$ 2 bilhões, dinheiro suficiente, por exemplo, para fazer todo o investimento em novas subestações e redes de transmissão e distribuição que podem melhorar a qualidade da energia, além de reduzir perdas que levam outras dezenas de milhões de reais pelo ralo.

E agora, Rui?

Rui Barbosa se visse o que ocorre no Piauí repetiria: “De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto.”
Acabaram de afastar o promotor de Luís Correia Galeno Coelho que denunciou malfeitorias que envolvem até magistrados. Banalizaram a corrupção. 
Acaba não, mundão! 

Medalha

Desde a semana passada, a cidade de Teresina tem mais uma medalha, a do mérito agropecuário Mariano Castelo Branco. O decreto assinado por Firmino Filho indica que a escolha dos homenageados será feita pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e pela Superintendência de Desenvolvimento Rural.

Renato Berger (Foto: reprodução internet)

Sem cargo

Depois de ter sido tirado do cargo de secretário municipal de Esporte e Lazer e abrigado em uma comissão de assessor especial da Secretaria de Planejamento, Renato Berger agora é um sem cargo. Semana passada ele foi exonerado por Firmino Filho.

Com cargo

A mesma caneta que o prefeito usou para despachar Renato Berger deve ter servido para nomear Luiz Humberto Silveira, o Sebim, agora ocupante do cargo de assessor de coordenação da Semplan.

Sem fronteiras

Já não era sem tempo um debate entre os gestores da saúde de Teresina e de Timon. Na sexta-feira passada, Charles da Silveira (Teresina) e Márcio Sá (Timon). As duas cidades devem acertar as pontas para depois acertar as contas.

Teresa Britto (Foto: Lucas Sousa / Portal AZ)

Como assim?

Teresa Britto (PV) usou a expressão extorsão para definir um aumento de R$ 30 para R$ 200 de taxa cobrada por veículo de transporte de carga na Ceasa. Como a deputada estadual não informou se a taxa é diária, semanal, quinzenal ou mensal, fica difícil dar razão a ela ou à companhia.

E Barras?

O ex-prefeito de Barras, José Ribamar Pereira, o Cabelouro, é cogitado para ser candidato do MDB a vereador em Teresina. Corre o risco sério de repetir o fiasco de quando tentou ser prefeito de Boa Hora e levou uma surra de votos do adversário Antônio Resende.

Aliás

Talvez caiba a Cabelouro saber uma máxima de José Raimundo Bona Medeiros, ex-governador do Piauí, derrotado na tentativa de ser prefeito de União, em 2008: não é a gente que deixa a política, é a política que deixa a gente.

Sem margens

As estradas estaduais do Piauí, que não têm acostamento, estão ficam sem margens, porque o mato tomou conta de tudo e, sem o roço, o que já era muito ruim está ficando muito pior.

Átila Lira (Foto: Divulgação)

Vem cá!

Enquanto Paes Landim dá sinais de que acatou a corte do MDB para deixar o PTB, o partido controlado por João Vicente Claudino não perde tempo e quer em seus quadros o deputado federal Átila Lira, que ensaia uma volta ao DEM, de onde saiu no tempo em que a sigla ainda era PFL.

Tiago Vasconcelos (Foto: Lucas Sousa / Portal AZ)

Falta o decreto

O ex-vereador Tiago Vasconcelos informa que foi convidado e aceitou ocupar a superintendência do Incra no Piauí. Para assumir está faltado o nada absta e uma assinatura do Palácio do Planalto.

Ping-Pong
Distância conveniente

Ubiraci Carvalho chega ao Bar do Mijo acompanhado de seu assessor de tráfego, o famoso Seu Zé. Cumprimenta os presentes, no gesto raro e admirável e parte para o bate-papo com os amigos. O assunto, claro, é sucessão municipal. Até que Adão Wallace, provoca.

Adão: “Bira, como é que tu vai se sair dessa sinuca de bico de ter um candidato do teu partido a Prefeitura de Teresina, o Afonso Gil, ser amigo do Sílvio Mendes, ser secretário do governo do PT, que tem a Flora como candidata, e ainda ser amigo do Mão Santa e da Adalgisa, de quem tu gosta e deve favores?”
Ubiraci: “Adão, não tem problema nenhum. Eu voto é em Simplício Mendes;

Originalmente publicado em 31 de maio de 2004.

Expressas 

Em Brasília há uma piada segundo a qual o presidente Bolsonaro tem compulsão por atravessar a rua para escorregar na casca de banana.

Pode ser só uma piada, mas não se tem notícia de um presidente da República que produza crises para si mesmo.

Outro problema parece ser o de um presidente que não confia em ninguém, a não ser em seus filhos, tributários da usina de crises.

O consórcio, a quarta entidade Eleição municipal

Mais lidas desse blog