Janot e Temer discutem acordo entre Brasil e Suiça em torno da Lava-Jato

Rodrigo Janot disse ao Presidente que o acordo entre o Ministério do Publico e as autoridades suíças esta demorando para ser ativado pelo Mistério da Justiça

 

Segundo assessores, o Procurador-Geral da Republica, Rodrigo Janot,  foi até o Presidente da Republica, Michel Temer, tratar  sobre o acordo bilateral  entre o Brasil e a Suíça para acelerar e adiantar informações entre os dois países em torno das investigações da Lava-Jato.

Ao final do ano passado, a Procuradoria elaborou e apresentou uma minuta de como se daria esse acordo em os dois países. O empasse no momento de dá em torno do nome de quem irá comandar essa equipe de investigação.


O Ministério da Justiça pede uma chefia compartilhada. Já o procurador Rodrigo Janot, quer uma chefia própria.


A cooperação bilateral entre os dois países (Brasil-Suíça), foi proposta em março de 2016 pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao MP suíço. Em uma reunião na Suíça, ele sugeriu que os dois órgãos reunissem na força-tarefa procuradores, policiais e especialistas. As autoridades suíças aprovaram a iniciativa e começaram a escolher os integrantes da equipe, ainda em 2016.

Em novembro do ano passado, a proposta foi apresentada por Janot em encontro com o presidente Michel Temer, o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, o chanceler José Serra e outras autoridades brasileiras. Naquele momento, todos os presentes à reunião indicaram apoio às ideias do procurador-geral.


Passado quase um ano da proposta levantada por Janot, porém, o lado brasileiro não conseguiu consolidar a cooperação.