1. Colunas
  2. Arimatéia Azevedo
  3. Eleição municipal
Publicidade

Eleição municipal

A eleição municipal já está no radar dos políticos e há razões para que se movimentem agora dentro de uma perspectiva de fortalecimento de seus respectivos partidos. Tome-se o caso do deputado estadual Themístocles Filho (MDB), que é hoje a mais articulada liderança em seu partido, a despeito de haver um senador emedebista (Marcelo Castro), que não tem o controle da máquina partidária na capital do Estado, Teresina, e nem no âmbito estadual, a despeito de ser o presidente regional. Deverá caber a Themístocles as articulações para fortalecer o partido no interior, bem assim na capital, para onde já atraiu o ex-deputado Dr. Pessoa, nome com forte apelo eleitoral. Se Themístocles se movimenta, é claro que outras lideranças partidárias fazem o mesmo: Júlio César e seu filho Georgiano Neto têm se desdobrado para atrair lideranças não tão de peso para o PSD, enquanto o Progressistas desde o ano passado fortaleceu as posições municipais e, não tendo um nome em Teresina, já evidencia que vai ficar numa aliança com Firmino Filho, buscando ampliar sua bancada de vereadores. O PT tem o governador do Estado e certamente vai lutar para ampliar sua participação municipal, que foi boa em 2016. A razão de todo esse cuidado com a eleição municipal é estratégica e de sobrevivência: partidos que saírem bem em 2020 podem se credenciar a um melhor desempenho em 2022, quando a cláusula de desempenho terá percentual maior e pode decretar o fim de legendas que não fizerem no ano que vem uma base sólida que os evite ruir na eleição geral de dois anos depois.

Ciro Gomes defende que os deputados “bolsonaristas” saiam do PDT (Foto: Agência Brasil)

Cargo 

O ex-deputado estadual e ex-prefeito de José de Freitas, Robert de Almendra Freitas foi nomeado esta semana coordenador de articulação. 
Não se sabe o que faz um coordenador de articulação, mas na escala de importância dos chamados DAS, pode-se dizer que não é lá essas coisas.

DAS-2

Isso porque os cargos de Direção e Assessoramento Superior são medidos em importância pela escala crescente do número posterior à sigla, indo de um, o de menor importância, ao quatro, o de maior importância. 
O cargo de Robert Freitas é um DAS-2, logo, de menor importância.

Mesmo birô

Outro ex-deputado, Luiz Gonzaga Paes Landim, que já foi até superintendente da Sudene, em sua fase atual e decadente, vai também dar expediente no Palácio de Karnak. 
Ganhou um DAS-2 para exercer o pomposo e desimportante cargo de Coordenador de Monitoramento, da Secretaria de Governo.

Militante 1

Enquanto dois luminares de famílias políticas tradicionais do Piauí, Robert Freitas e Luiz Paes Landim ralam para levar um DAS-2 no Palácio de Karnak, quem tem militância política no PT ganha melhor posição.

Militante 2

É o caso de Pedro Calisto de Oliveira, que era superintendente de Articulação Governamental, da Secretaria de Governo, foi exonerado e logo em seguida nomeado como assessor especial do governador, um DAS-4. 
É duas vezes melhor remunerado porque, afinal, é um petista antigo e até foi dirigente do partido.

R-u-a: rua!

Ciro Gomes praticamente usou a expressão popular segundo a qual a porta de saída é a serventia da casa ao anunciar que devem deixar o PDT os deputados filiados ao partido que votaram pela reforma da Previdência. 
No rol dos 11 pedetistas que destoaram da orientação do partido, está Flávio Nogueira, do Piauí.

De saída

Nogueira não tem razões eleitorais para deixar o PDT, já que não é candidato agora, mas há a possibilidade de ir para o Podemos, que hoje abriga o senador Elmano Ferrer, um frequente visitador do presidente Bolsonaro.

Palanque

Elmano, que na eleição de 2018 foi candidato a governador para passar vergonha, agora jura que o presidente o incentivou a ser candidato a prefeito de Teresina. Isso porque, afirma o senador pelo Piauí, Bolsonaro quer nomes competitivos ligados a ele nas disputas municipais mais importantes em 2020.

Recuperação

Sem que votem o projeto de lei das diretrizes orçamentárias, os deputados não podem entrar no recesso do meio do ano. 
Por isso, na segunda-feira, vai ter uma espécie de recuperação na Assembleia Legislativa para limpar a pauta das comissões e levar projetos para apreciação no plenário.

Multisseriada

Em vez de reuniões em separado, deve haver uma reunião ampliada e conjunta das Comissões de e Constituição e Justiça, de Administração Pública e Política Social, de Defesa do Consumidor e Meio Ambiente, de Fiscalização e Controle, Finanças e Tributação e de Comissão de Infraestrutura e Política Econômica. 

Vota tudo

Feito isso, os deputados terão a terça e a quarta-feira da próxima semana para votar tudo o que estiver em consenso nas comissões, incluindo o projeto de lei das diretrizes orçamentárias.

Férias

Na Câmara Municipal os vereadores já votaram o projeto de lei das diretrizes orçamentárias, que agora vai à sanção do prefeito Firmino Filho. Isso dá a eles tempo de usar o recesso para fazer política, como faz o presidente da Casa, Jeová Alencar, que parece disposto a mudar-se para o MDB, tal a desenvoltura com que costura a chapa do partido para vereador em 2020.

Convite

Jeová, que é nominalmente tucano, tem feito gestões para que o MDB fortaleça a chapa para vereador no ano que vem. Ele chancelou, por exemplo, a filiação da advogada Vanessa Tapety no partido. 
Vanessa, que disputou como vice de Dr. Pessoa, em 2018, agora pode buscar uma vaga na Câmara Municipal de Teresina.

Viagem

Rafael Fonteles viaja segunda-feira para o exterior. O decreto autorizando o secretário da Fazenda a ausentar-se do país a partir da segunda-feira, dia 15 e até 22 de julho, está na edição do dia 10 de julho do diário oficial do Estado, mas não informa o destino, apesar do caráter oficial da viagem.

Ping-Pong 
A fome e o voto

Um flanelinha que cuida todos os dias do carro do Administrador Edy Mousinho faz uma consulta para saber em quem votar na eleição de 2012.

O Flanelinha: “Seu Mousinho, eu não aguento mais passar tanta fome, em quem eu devo votar?” 
Mousinho: “Meu amigo, vote no Joaquim do Arroz”.

Originalmente publicado em 16 de agosto de 2012.

Expressas 

Hoje tem dois eventos em bairros, um no Parque Piauí outro no Mocambinho. Há uma febre de “ação comunitária” na cidade.

Os banheiros do Mercado do Mafuá estão precisando de reparo urgente. Mas há dois banheiros novos e que não são usados.

O curioso é que os banheiros não estão sendo utilizados sob o argumento de que o prefeito não foi lá para inaugurá-los.

A eleição municipal já está no radar dos políticos e há razões para que se movimentem agora dentro de uma perspectiva de fortalecimento de seus respectivos partidos. Tome-se o caso do deputado estadual Themístocles Filho (MDB), que é hoje a mais articulada liderança em seu partido, a despeito de haver um senador emedebista (Marcelo Castro), que não tem o controle da máquina partidária na capital do Estado, Teresina, e nem no âmbito estadual, a despeito de ser o presidente regional. Deverá caber a Themístocles as articulações para fortalecer o partido no interior, bem assim na capital, para onde já atraiu o ex-deputado Dr. Pessoa, nome com forte apelo eleitoral. Se Themístocles se movimenta, é claro que outras lideranças partidárias fazem o mesmo: Júlio César e seu filho Georgiano Neto têm se desdobrado para atrair lideranças não tão de peso para o PSD, enquanto o Progressistas desde o ano passado fortaleceu as posições municipais e, não tendo um nome em Teresina, já evidencia que vai ficar numa aliança com Firmino Filho, buscando ampliar sua bancada de vereadores. O PT tem o governador do Estado e certamente vai lutar para ampliar sua participação municipal, que foi boa em 2016. A razão de todo esse cuidado com a eleição municipal é estratégica e de sobrevivência: partidos que saírem bem em 2020 podem se credenciar a um melhor desempenho em 2022, quando a cláusula de desempenho terá percentual maior e pode decretar o fim de legendas que não fizerem no ano que vem uma base sólida que os evite ruir na eleição geral de dois anos depois.

Ciro Gomes defende que os deputados “bolsonaristas” saiam do PDT (Foto: Agência Brasil)

Cargo 

O ex-deputado estadual e ex-prefeito de José de Freitas, Robert de Almendra Freitas foi nomeado esta semana coordenador de articulação. 
Não se sabe o que faz um coordenador de articulação, mas na escala de importância dos chamados DAS, pode-se dizer que não é lá essas coisas.

DAS-2

Isso porque os cargos de Direção e Assessoramento Superior são medidos em importância pela escala crescente do número posterior à sigla, indo de um, o de menor importância, ao quatro, o de maior importância. 
O cargo de Robert Freitas é um DAS-2, logo, de menor importância.

Mesmo birô

Outro ex-deputado, Luiz Gonzaga Paes Landim, que já foi até superintendente da Sudene, em sua fase atual e decadente, vai também dar expediente no Palácio de Karnak. 
Ganhou um DAS-2 para exercer o pomposo e desimportante cargo de Coordenador de Monitoramento, da Secretaria de Governo.

Militante 1

Enquanto dois luminares de famílias políticas tradicionais do Piauí, Robert Freitas e Luiz Paes Landim ralam para levar um DAS-2 no Palácio de Karnak, quem tem militância política no PT ganha melhor posição.

Militante 2

É o caso de Pedro Calisto de Oliveira, que era superintendente de Articulação Governamental, da Secretaria de Governo, foi exonerado e logo em seguida nomeado como assessor especial do governador, um DAS-4. 
É duas vezes melhor remunerado porque, afinal, é um petista antigo e até foi dirigente do partido.

R-u-a: rua!

Ciro Gomes praticamente usou a expressão popular segundo a qual a porta de saída é a serventia da casa ao anunciar que devem deixar o PDT os deputados filiados ao partido que votaram pela reforma da Previdência. 
No rol dos 11 pedetistas que destoaram da orientação do partido, está Flávio Nogueira, do Piauí.

De saída

Nogueira não tem razões eleitorais para deixar o PDT, já que não é candidato agora, mas há a possibilidade de ir para o Podemos, que hoje abriga o senador Elmano Ferrer, um frequente visitador do presidente Bolsonaro.

Palanque

Elmano, que na eleição de 2018 foi candidato a governador para passar vergonha, agora jura que o presidente o incentivou a ser candidato a prefeito de Teresina. Isso porque, afirma o senador pelo Piauí, Bolsonaro quer nomes competitivos ligados a ele nas disputas municipais mais importantes em 2020.

Recuperação

Sem que votem o projeto de lei das diretrizes orçamentárias, os deputados não podem entrar no recesso do meio do ano. 
Por isso, na segunda-feira, vai ter uma espécie de recuperação na Assembleia Legislativa para limpar a pauta das comissões e levar projetos para apreciação no plenário.

Multisseriada

Em vez de reuniões em separado, deve haver uma reunião ampliada e conjunta das Comissões de e Constituição e Justiça, de Administração Pública e Política Social, de Defesa do Consumidor e Meio Ambiente, de Fiscalização e Controle, Finanças e Tributação e de Comissão de Infraestrutura e Política Econômica. 

Vota tudo

Feito isso, os deputados terão a terça e a quarta-feira da próxima semana para votar tudo o que estiver em consenso nas comissões, incluindo o projeto de lei das diretrizes orçamentárias.

Férias

Na Câmara Municipal os vereadores já votaram o projeto de lei das diretrizes orçamentárias, que agora vai à sanção do prefeito Firmino Filho. Isso dá a eles tempo de usar o recesso para fazer política, como faz o presidente da Casa, Jeová Alencar, que parece disposto a mudar-se para o MDB, tal a desenvoltura com que costura a chapa do partido para vereador em 2020.

Convite

Jeová, que é nominalmente tucano, tem feito gestões para que o MDB fortaleça a chapa para vereador no ano que vem. Ele chancelou, por exemplo, a filiação da advogada Vanessa Tapety no partido. 
Vanessa, que disputou como vice de Dr. Pessoa, em 2018, agora pode buscar uma vaga na Câmara Municipal de Teresina.

Viagem

Rafael Fonteles viaja segunda-feira para o exterior. O decreto autorizando o secretário da Fazenda a ausentar-se do país a partir da segunda-feira, dia 15 e até 22 de julho, está na edição do dia 10 de julho do diário oficial do Estado, mas não informa o destino, apesar do caráter oficial da viagem.

Ping-Pong 
A fome e o voto

Um flanelinha que cuida todos os dias do carro do Administrador Edy Mousinho faz uma consulta para saber em quem votar na eleição de 2012.

O Flanelinha: “Seu Mousinho, eu não aguento mais passar tanta fome, em quem eu devo votar?” 
Mousinho: “Meu amigo, vote no Joaquim do Arroz”.

Originalmente publicado em 16 de agosto de 2012.

Expressas 

Hoje tem dois eventos em bairros, um no Parque Piauí outro no Mocambinho. Há uma febre de “ação comunitária” na cidade.

Os banheiros do Mercado do Mafuá estão precisando de reparo urgente. Mas há dois banheiros novos e que não são usados.

O curioso é que os banheiros não estão sendo utilizados sob o argumento de que o prefeito não foi lá para inaugurá-los.

O consórcio, a quarta entidade Tá doido? Cadeia, não!

Mais lidas desse blog