">
  1. TCE-PI sob nova direção
Publicidade

TCE-PI sob nova direção

O Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI) inicia nesta segunda-feira (7) o funcionamento normal em 2019, depois do recesso iniciado em 20 de dezembro. E vem sob nova direção, com o conselheiro Abelardo Vilanova ocupando pela segunda vez o cargo de presidente, ocupado até o final do ano pelo conselheiro Olavo Rebelo. Não é uma mudança apenas de nome, mas principalmente de modelo de gestão. Abelardo Vilanova é um técnico, discreto, pouco afeito a polêmicas e tem pouca ou quase nenhuma ligação com política - chegou ao órgão em 1995 como auditor, via concurso público, sendo nomeado conselheiro sete anos depois, dentro da vaga destinada aos auditores. Dos sete conselheiros titulares, apenas ele e Waltânia Alvarenga, egressa do Ministério Público de Contas (MPC), não exerceram mandato político antes de entrar no TCE-PI. Ou seja, presume-se que implante uma gestão eminentemente técnica no Tribunal. E é o que ele promete. Nas entrevistas que tem dado à imprensa, diz que vai priorizar a organização e reestruturação internas do TCE-PI e a fiscalização dos órgãos do Estado e das prefeituras com foco nos resultados das políticas públicas, e não apenas no cumprimento das normas legais pelos entes públicos. Nas palavras dele, “ao gestor não basta apenas cumprir o que diz a lei no tocante à aplicação do dinheiro público; é preciso verificar se esse dinheiro está produzindo os resultados que a população precisa”. É uma visão moderna e em sintonia com os modelos de gestão pública e privada atuais, em que o que realmente importa não é o volume de dinheiro que se gasta, mas a eficiência e a eficácia desses gastos. E pode ser um salto na relevância do TCE-PI como órgão público. Se a gestão de Olavo Rebelo deu visibilidade à Corte de Contas pelo discurso e pelas ações de combate à corrupção e às fraudes em licitações, a de Abelardo Vilanova pode ir além, verificando se as políticas públicas estão produzindo lá na ponta (no cidadão a que elas se destinam) o que elas efetivamente prometem no papel.

Abelardo Vilanova ocupa pela segunda vez o cargo do presidente do TCE-PI (Foto: Lucas Sousa / Portal AZ)

Refresco

O Ministério Público do Piauí foi de uma impressionante agilidade para restabelecer aos seus membros o mimo financeiro que deixou de existir com o fim do auxílio-moradia. Crio um novo auxílio, seguindo o mal passo dos congêneres mineiro e pernambucano.

Sabão

Em boa hora, o conselheiro nacional do MP, Luiz Fernando Bandeira de Mello, decidiu que esse tipo de privilégio não é cabível. Disse mais: os membros do MP não têm direito a auxílios pagos sob qualquer pretexto. O fim dessa gambiarra burocrático-financeira tem até marco: 26 de novembro de 2018.

Aliás

Seria de bom tom que os integrantes do Tribunal de Contas do Estado também revissem esse auxílio-moradia. Todos os digníssimos conselheiros tem casas (e que casa!) em Teresina, não necessitando do adjutório.

Governador Wellington Dias (Foto: Tamyres Rebeca)

Zero KM

O quarto governo de Wellington Dias começou faz cinco dias, mas desde então nada parece ter ocorrido. Ao menos do ponto de vista formal, porque já se passaram três dias úteis desde que o petista assumiu e nada de ser publicado no Diário Oficial do Estado.

“Estatística”

Se existe um tipo de contagem de voto e de pesquisa que não dá certo é a de eleição em que há poucos eleitores. Caso da Assembleia Legislativa. Há quem conte já 19 votos para o presidente Themistocles Filho (MDB). Há quem conte 13 votos para Hélio Isaías (Progressistas) e há os que contam esses votos e mais os indecisos. Sempre dá mais de 30.

Sem rumo

O MDB fecha com seu correligionário, o PT ainda não se decidiu e deve reunir a bancada de cinco parlamentares na próxima semana. Um bloco que inclui a novata Teresa Brito (PV) e os experientes Marden Meneses e Evaldo Gomes, também está ainda no campo da indecisão.

Assis Carvalho e Flora Izabel (Fotos: Lucas Sousa / Marcelo Gomes)

Sem rumo 2 

Na reunião com sua bancada de cinco deputados Assis Carvalho quer enquadrar Flora Izabel que já declinou voto pra Themístocles. 
Esperar para saber se nessa reunião se confirma a afirmação do botafoguense de que os “deputados são educados”.

Interesses

Convém lembrar que a eleição para a Presidência da Assembleia reúne componentes incomuns, mas há um traço que une todo mundo: os interesses de cada deputado. É nesse ponto que tanto Themístocles quanto o seu opositor Hélio Isaías trafegam no mesmo rumo: manter tudo como está.

Aulas na TV 

Reconhecidamente, as aulas presenciais são muitas vezes falhas nas universidades brasileiras. Pois imagine como vai ficar, agora, caro leitor, que o professor pode apresentar a sua aula pela internet, em até 40% do total. 

Aula na TV 2 

Vai ficar bom mesmo para aqueles graúdos que não têm tempo ou disposição de frequentar as universidades, porque quase a metade das aulas vai poder fazer de suas casas escritórios ou gabinetes. E a qualidade do ensino que fique para as calendas.

Jair Bolsonaro (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

Retrato

Bolsonaro diz ter sido informado de que os governadores dos estados do Nordeste não terão seu retrato na parede. Foi mal informado. Foto oficial de presidente da República orna é parede de órgão federal. Na parede dos governadores e dos órgãos de seus respectivos estados, os retratos deles.

Cafonice

Nos dois casos – retratos do presidente e dos governadores – uma cafonice que custa caro ao contribuinte.
Melhor que se faça como Camilo Santana (PT-CE), que no lugar de sua foto, mandou fazer fotos de gente simples, que paga os impostos que mantém os governos.

Ping-Pong

Mui amigos

O vice-governador Wilson Martins vai ao Palácio de Karnak comunicar ao governador Wellington Dias que viajará aos Estados Unidos levando a tira-colo o assessor internacional Sergio Vilella. 

Wellington: “Por que você vai levar o Sergio?” 
Wilson: “Para ele não ficar falando mal de mim...” 
Wellington: “Então leva o Robert Rios junto”.

Publicado originalmente em 25 de abril de 2008.

Expressas

Ontem o Diário Oficial do Estado foi atualizado na internet, com edições dos dias 2, 3 e 4 de janeiro.

No DOE de 1 de janeiro saiu o decretão mantendo todos os atuais ocupantes de cargos de confiança.

Merlong Solano é especial. Ganhou um decreto só para si nomeando-o secretário interino de Governo.

O Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI) inicia nesta segunda-feira (7) o funcionamento normal em 2019, depois do recesso iniciado em 20 de dezembro. E vem sob nova direção, com o conselheiro Abelardo Vilanova ocupando pela segunda vez o cargo de presidente, ocupado até o final do ano pelo conselheiro Olavo Rebelo. Não é uma mudança apenas de nome, mas principalmente de modelo de gestão. Abelardo Vilanova é um técnico, discreto, pouco afeito a polêmicas e tem pouca ou quase nenhuma ligação com política - chegou ao órgão em 1995 como auditor, via concurso público, sendo nomeado conselheiro sete anos depois, dentro da vaga destinada aos auditores. Dos sete conselheiros titulares, apenas ele e Waltânia Alvarenga, egressa do Ministério Público de Contas (MPC), não exerceram mandato político antes de entrar no TCE-PI. Ou seja, presume-se que implante uma gestão eminentemente técnica no Tribunal. E é o que ele promete. Nas entrevistas que tem dado à imprensa, diz que vai priorizar a organização e reestruturação internas do TCE-PI e a fiscalização dos órgãos do Estado e das prefeituras com foco nos resultados das políticas públicas, e não apenas no cumprimento das normas legais pelos entes públicos. Nas palavras dele, “ao gestor não basta apenas cumprir o que diz a lei no tocante à aplicação do dinheiro público; é preciso verificar se esse dinheiro está produzindo os resultados que a população precisa”. É uma visão moderna e em sintonia com os modelos de gestão pública e privada atuais, em que o que realmente importa não é o volume de dinheiro que se gasta, mas a eficiência e a eficácia desses gastos. E pode ser um salto na relevância do TCE-PI como órgão público. Se a gestão de Olavo Rebelo deu visibilidade à Corte de Contas pelo discurso e pelas ações de combate à corrupção e às fraudes em licitações, a de Abelardo Vilanova pode ir além, verificando se as políticas públicas estão produzindo lá na ponta (no cidadão a que elas se destinam) o que elas efetivamente prometem no papel.

Abelardo Vilanova ocupa pela segunda vez o cargo do presidente do TCE-PI (Foto: Lucas Sousa / Portal AZ)

Refresco

O Ministério Público do Piauí foi de uma impressionante agilidade para restabelecer aos seus membros o mimo financeiro que deixou de existir com o fim do auxílio-moradia. Crio um novo auxílio, seguindo o mal passo dos congêneres mineiro e pernambucano.

Sabão

Em boa hora, o conselheiro nacional do MP, Luiz Fernando Bandeira de Mello, decidiu que esse tipo de privilégio não é cabível. Disse mais: os membros do MP não têm direito a auxílios pagos sob qualquer pretexto. O fim dessa gambiarra burocrático-financeira tem até marco: 26 de novembro de 2018.

Aliás

Seria de bom tom que os integrantes do Tribunal de Contas do Estado também revissem esse auxílio-moradia. Todos os digníssimos conselheiros tem casas (e que casa!) em Teresina, não necessitando do adjutório.

Governador Wellington Dias (Foto: Tamyres Rebeca)

Zero KM

O quarto governo de Wellington Dias começou faz cinco dias, mas desde então nada parece ter ocorrido. Ao menos do ponto de vista formal, porque já se passaram três dias úteis desde que o petista assumiu e nada de ser publicado no Diário Oficial do Estado.

“Estatística”

Se existe um tipo de contagem de voto e de pesquisa que não dá certo é a de eleição em que há poucos eleitores. Caso da Assembleia Legislativa. Há quem conte já 19 votos para o presidente Themistocles Filho (MDB). Há quem conte 13 votos para Hélio Isaías (Progressistas) e há os que contam esses votos e mais os indecisos. Sempre dá mais de 30.

Sem rumo

O MDB fecha com seu correligionário, o PT ainda não se decidiu e deve reunir a bancada de cinco parlamentares na próxima semana. Um bloco que inclui a novata Teresa Brito (PV) e os experientes Marden Meneses e Evaldo Gomes, também está ainda no campo da indecisão.

Assis Carvalho e Flora Izabel (Fotos: Lucas Sousa / Marcelo Gomes)

Sem rumo 2 

Na reunião com sua bancada de cinco deputados Assis Carvalho quer enquadrar Flora Izabel que já declinou voto pra Themístocles. 
Esperar para saber se nessa reunião se confirma a afirmação do botafoguense de que os “deputados são educados”.

Interesses

Convém lembrar que a eleição para a Presidência da Assembleia reúne componentes incomuns, mas há um traço que une todo mundo: os interesses de cada deputado. É nesse ponto que tanto Themístocles quanto o seu opositor Hélio Isaías trafegam no mesmo rumo: manter tudo como está.

Aulas na TV 

Reconhecidamente, as aulas presenciais são muitas vezes falhas nas universidades brasileiras. Pois imagine como vai ficar, agora, caro leitor, que o professor pode apresentar a sua aula pela internet, em até 40% do total. 

Aula na TV 2 

Vai ficar bom mesmo para aqueles graúdos que não têm tempo ou disposição de frequentar as universidades, porque quase a metade das aulas vai poder fazer de suas casas escritórios ou gabinetes. E a qualidade do ensino que fique para as calendas.

Jair Bolsonaro (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

Retrato

Bolsonaro diz ter sido informado de que os governadores dos estados do Nordeste não terão seu retrato na parede. Foi mal informado. Foto oficial de presidente da República orna é parede de órgão federal. Na parede dos governadores e dos órgãos de seus respectivos estados, os retratos deles.

Cafonice

Nos dois casos – retratos do presidente e dos governadores – uma cafonice que custa caro ao contribuinte.
Melhor que se faça como Camilo Santana (PT-CE), que no lugar de sua foto, mandou fazer fotos de gente simples, que paga os impostos que mantém os governos.

Ping-Pong

Mui amigos

O vice-governador Wilson Martins vai ao Palácio de Karnak comunicar ao governador Wellington Dias que viajará aos Estados Unidos levando a tira-colo o assessor internacional Sergio Vilella. 

Wellington: “Por que você vai levar o Sergio?” 
Wilson: “Para ele não ficar falando mal de mim...” 
Wellington: “Então leva o Robert Rios junto”.

Publicado originalmente em 25 de abril de 2008.

Expressas

Ontem o Diário Oficial do Estado foi atualizado na internet, com edições dos dias 2, 3 e 4 de janeiro.

No DOE de 1 de janeiro saiu o decretão mantendo todos os atuais ocupantes de cargos de confiança.

Merlong Solano é especial. Ganhou um decreto só para si nomeando-o secretário interino de Governo.