Dramaturgo piauiense é celebrado em Festival Nacional de Teatro

Com uma intensa programação que inclui apresentações teatrais, oficinas e uma bela homenagem ao dramaturgo piauiense Aci Campelo, o Festival Nacional de Teatro Pontos de Cultura segue até sábado, 29, na cidade de Floriano. Com 21 apresentações de grupos de todo país, o evento busca fomentar a cultura e criar uma rede de artes cênicas com outros Pontos de Cultura.

Segundo o homenageado, Aci Campelo, os últimos 10 anos foram marcados por avanços na dramaturgia no Piauí. “Foram três fatores fundamentais: a criação de uma escola de teatro, um festival internacional da língua portuguesa realizado pelo Grupo Harem, e o Grupo Escalet, que é uma usina de cultura que começou a fazer o Festival Nacional de Teatro”, enumerou.



Aci campelo iniciou sua carreira profissional no inicio dos anos 70 fazendo literatura, contos e artigos de jornais na capital do Piauí. A dramaturgia veio quando ele recebeu a proposta de criar um texto para o Grupo Raízes, que acabou estreando em um festival amador. “Me empolgou de uma forma que não quis mais deixar de escrever teatro”, relembra o dramaturgo.

Do Rio de Janeiro à Floriano
Um dos destaques da semana foi a apresentação de “Profetas da Chuva”, do
grupo Cia. do Sol, de Miguel Pereira, no Rio de Janeiro. No roteiro, dois personagens observam a natureza e dizem para a população local de Quixadá quando vai ou não chover.

Segundo Paula Cavalcante, integrante do grupo, o Festival é de grande importância, já que permite uma troca de experiências. “Ficamos no Rio, que é meio fechado. Acabamos vendo muitas montagens, mas só do Rio ou São Paulo, e são coisas muito especificas”, afirmou a atriz. Para criar os personagens, ela e Clara Santana foram até Quixadá conhecer os profetas e buscar um diálogo de pesquisa. “Com a seca, a natureza das previsões deles falam de Deus e de muitas coisas da vida deles”, disse Paula.

*Com informações da Ascom Festival Nacional de Teatro

Mais lidas nesse momento