Cine Rex será desapropriado para instalação de Centro de Audiovisual

Por Daiane Rufino

Nascido em novembro de 1939, um senhor de quase 73 anos é um dos ícones da história e da cultura de Teresina. Apesar de sua importância ele está há muitos anos em um retiro amargando a solidão do desdém de seus próximos.

Para quem pensou em alguma personalidade de nossa cidade, vale esclarecer que não nos referimos a uma pessoa, mas a um prédio, que, apesar de inanimado, animou a vida de muita gente durante seis décadas na capital piauiense: o Cine Rex.



Localizado na Praça Pedro II, o Cine Rex foi uma das principais opções de lazer, juntamente com a Praça Pedro II, o Theatro 4 de Setembro e o Clube dos Diários durante o século XX em Teresina.

Para benesse da cultura e do turismo histórico no Piauí, uma boa notícia foi divulgada pela Fundação Cultural do Piauí (Fundac) nesta segunda-feira (23) em relação do prédio do Cine Rex. A atual administração da pasta informou à imprensa que as negociações em torno da desapropriação do prédio do Cine Rex com o atual proprietário estão avançadas.

A Fundação tem o propósito de montar no local um Centro Técnico de Audiovisual com a manutenção da sala de projeção de cinema, salas de oficinas e laboratórios.

A desapropriação

Conforme informações do Assessor Técnico da Fundac, Francisco Pelé (foto ao lado), a desapropriação e restauração do Cine Rex não deverá demorar muito. A presidente da Fundação, Bid Lima já esteve conversando com o atual proprietário do prédio, David Cortelazzi, que nomeou um procurador para fazer as negociações junto ao governo.

“Essa é uma das metas prioritárias da Fundac. A proposta já foi apresentada ao governador Wilson Martins e ele se mostrou bastante interessado pela proposta”, antecipou Francisco Pelé.

O processo de desapropriação se dá a partir de uma proposta de valor feita pelo proprietário e a ser pago pelo governo. Ao mesmo tempo, a Caixa Econômica Federal faz uma avaliação do imóvel conforme valor de mercado que serve como documento para o Estado realizar a transação.

“A Constituição garante ao Estado a desapropriação de prédios como este que faze parte do patrimônio cultural da cidade. Se o proprietário não entrar em acordo, a desapropriação pode ser feita judicialmente”, explicou Pelé.





O Centro Técnico de Audiovisual

Após a desapropriação do local, a Fundac pretende implantar um projeto inovador no Cine Rex. Segundo informações de Francisco Pelé, a ideia é manter a exibição de filmes de arte e implantar cursos para formação técnica de profissionais na área de áudio visual.

“A presidente Bid Lima já esteve em reunião com a ministra da Cultura e ela demonstrou interesse em financiar a restauração do prédio e o projeto do centro Técnico de Audiovisual, para isso só será preciso concluir a desapropriação do local, que será feita pelo governo do estado”, adiantou Pelé.




O Cine Rex

O Cine Rex é tombado por lei estadual desde fevereiro de 1997. Com uma área de 819,84m², sofreu sua primeira reforma em 1973, tendo mantidas suas características arquitetônicas externas. Em 2005 foi reformado para funcionar com Casa de Show.

Conforme descrição do documento de tombamento da Fundac, o prédio “é um exemplar de Art Déco, caracterizado por uma tipologia geometrizante dos volumes, por linhas simples, sóbrias, proporções pesadas, fachadas pouco decoradas”.

Além do Cine Rex, são tombados por lei estadual em Teresina: a biblioteca estadual “des. Cromwell de Carvalho”, a Casa da Antiga Intendência de Teresina, a Casa da Dona Carlotinha, a Casa do Barão de Gurguéia (atual Casa da Cultura), a Companhia Editorial do Piauí, o Clube dos Diários, o edifício Chagas Rodrigues (DER), a escola Normal Antonino Freire (sede da Prefeitura), Estação Ferroviária de Teresina, a Floresta Fóssil do Rio Poti, o Grupo escolar Gabriel Ferreira (Vermelha), o Grupo escolar Mathias Olympio (Porenquanto), o Museu do Piauí, o Palácio de Karnak e o Theatro 4 de Setembro.

Mais lidas nesse momento