Floriano se consolida como polo cultural do estado

Com a reabertura do Espaço Maria Bonita, a cidade ampliou eventos e passou a receber grandes festivais de música, teatro e cinema

A reforma e modernização dos espaços culturais mantidos pela Secretaria de Estado da Cultura (Secult) tornaram possível a descentralização de alguns projetos culturais, como Boca da Noite e Seis e Meia. Entre as cidades contempladas está Floriano, a pouco mais de 200 quilômetros da capital. Com a reabertura do Espaço Cultural Maria Bonita, a cidade ampliou eventos e passou a receber grandes festivais de música, teatro e cinema.

A reabertura da casa possibilitou a realização do Festival de Teatro Lusófono – Festluso, que no ano passado saiu de Teresina e também desembarcou no interior do Estado, incluindo Floriano no roteiro. O espaço sedia ainda grandes eventos de caráter nacional, como o Festival Nacional de Teatro – Pontos de Cultura e Grupos Independentes, que chega à quinta edição. Em novembro, o Maria Bonita também abrigou parte da programação do 11º Encontro Nacional de Cinema e Vídeos dos Sertões, realizado com apoio da Secult.

O Espaço Cultural Maria Bonita também recebe uma série de cursos e oficinas, colaborando com a capacitação, bem como formação de novos artistas. Em novembro, por exemplo, foi realizada a oficina de teatro “Ações físicas e vocais para atores”. Por meio do Sistema Estadual de Incentivo à Cultura (Siec), são realizados eventos na cidade, além da melhoria de espaços.

“A ideia é que, à medida que nós recuperamos os equipamentos culturais, essas cidades possam receber a circulação de editais. Em Floriano, nós já conseguimos um grande salto qualitativo nesse aspecto”, afirma o secretário de Estado da Cultura, Fábio Novo.

O casarão centenário que abriga o Espaço Cultural Christino Castro, em Floriano, também ganhou reforma e em breve será devolvido à população. O espaço, inaugurado em 2002, pertence à família do empresário Christino Castro e reúne museu, biblioteca, anfiteatro e loja de artesanato. Pouco mais de R$ 300 mil foram investidos na reforma da casa com o apoio do Governo do Estado.

“Todas essas ações ampliaram o número de pessoas atendidas das diversas formas, seja no acesso a espetáculos, exibição de filmes e acervo museográfico, como em oficinas e palestras que democratizam o acesso à cultura no município, finaliza Fábio Novo.

Mais lidas nesse momento