Whindersson Nunes fará show beneficente em Teresina nesta quinta-feira

O show tem como objetivo arrecadar alimentos perecíveis para serem doados e entregues a Fundação Abrigo São Lucas

Em abril, o show “Proparoxítona” do humorista e youtuber Whindersson Nunes foi alvo de reclamações do público, principalmente por falta de estrutura, superlotação e problema com o show. Devido a polêmica, a 32ª Promotoria de Justiça de Teresina, especializada na defesa dos direitos do consumidor, celebrou um termo de ajustamento de conduta (TAC) com a Non Stop Produções LTDA, depois de instaurar procedimento preparatório com o objetivo de apurar os eventuais danos ou prejuízos causados às pessoas que adquiriram ingressos para o show do youtuber.

Banner de divulgação
Banner de divulgação

Com base nessa decisão, Whindersson fará um show gratuito e beneficente no Theatro 4 de Setembro, nesta quinta-feira (21). O show tem como objetivo arrecadar alimentos perecíveis para serem doados e entregues a Fundação Abrigo São Lucas.

Trajetória de sucesso

Em um quarto humilde e com uma câmera simples, o piauiense Whindersson Nunes, natural de Bom Jesus (localizado a 650 km de Teresina), começou a produzir conteúdos para o Youtube (maior plataforma de vídeos do mundo). Apesar do nome pouco comum e das inúmeras dificuldades que enfrentou para se lançar na internet, hoje ele é o segundo youtuber mais influente do planeta, com mais de 23 milhões de inscritos em seu canal.

Além disso, o piauiense é considerado a pessoa mais influente da internet, segundo levantamento feito pelo Google. Esse piauiense de renome nacional fará um show gratuito na próxima quinta-feira, 21.

Lampião do Youtube

A partir de situações cotidianas, mas com uma pitada de humor, o jovem desbravou na internet aos 15 anos de idade. Nessa época, ele conheceu o youtuber Bob Nunes, de Teresina. Trocaram mensagens e ideias online, foi quando Whindersson decidiu que precisava sair de Bom Jesus para aprender mais na capital piauiense. “Quando vi o Whindersson na net logo nos tornamos amigos. No tempo, ele fez uma paródia e ‘estourou’. Então veio a necessidade de vir pro centro do estado. Minha casa muito humilde até hoje, morando com mãe e irmãs, recebeu ele sem nenhuma noção de quem era ou de quem ele iria ser”, conta Bob.

Mas antes de ser youtuber, ele trabalhou como garçom. E com a renda média de R$ 400 por mês ajudava a família. No entanto, a paixão e o anseio de ser conhecido na internet foi maior. E em 2011, Whindersson ingressou no grupo do Teresina Comedy News, que produzia vídeos sobre o cotidiano piauiense. E era Whindersson, na época, que se encarregava de gravar e editar as produções.

Mesmo com a participação no Teresina Comedy News, Whindersson continuou a gravar vídeos amadores em casa. Nesse período, ele passou fome e chegou a morar de favor na casa de amigos na capital piauiense. “Comecei há seis anos, mas fazer sucesso há dois. Passei quatro anos fazendo para aprender a me manter nesse segmento”, revela Whindersson.

Likes e aplausos

Em 2012, Whindersson Nunes lançou a paródia “Alô vó, tô reprovado”. A produção em três semanas teve mais de cinco milhões de visualizações. Na época, o canal com o vídeo foi hackeado. Na verdade, por duas vezes, o canal que leva o nome do youtuber foi hackeado. “Se me hackearam algum motivo tinha pra tanta inveja. E se o canal está incomodando é porque tá dando certo. Eu acreditava que ia dar certo e deu”, declarou Nunes.

No ano seguinte, Whindersson foi ao show em Teresina do humorista cearense Everson de Brito Silva, o Tirullipa. Fã do artista, o youtuber foi ao seu camarim e disse: “É isso que quero fazer na minha vida”. Whindersson também tem conquistado o público em apresentações de stand up pelo país, com uma média de 16 shows por mês.

Da internet para o cinema

Além da internet, dos palcos e da televisão, o piauiense Whindersson Nunes quer ir mais além. Agora, ele almeja papéis no cinema. Recentemente, ele participou do filme infantil “A Era do Gelo: O Big Bang”, dublando o jovem dinossauro Roger.

Estima-se que Whindersson Nunes fature entre R$ 27 mil a R$ 400 mil por mês (não é oficial e nem foi repassado via assessoria), por meio de vídeos, publicidades e apresentações de stand up. Mas ele também investe no setor imobiliário e é bastante solidário. Ele costuma promover ações beneficentes.

Mais lidas nesse momento