Empresa patrocina Di Grassi por amizade

Lucas Munhoz/Divulgação
Di Grassi e Ferreira da Silva durante o anúncio do patrocínio:
Sorocred investe toda sua verba de patrocínio do ano na Fórmula 1


O patrocínio da financeira Sorocred a Lucas di Grassi, anunciado na última terça-feira (27) num evento em Araçoiaba da Serra, no interior de São Paulo, foi motivado não apenas pelos bons resultados obtidos pelo brasileiro nas categorias de acesso à Fórmula 1, mas pela amizade entre os donos da empresa e a família do piloto.

Di Grassi começou a se destacar no kart em Itu, cidade do interior paulista onde seu pai, Vitor, tinha uma casa para passar os fins de semana. Na mesma época, o presidente da Sorocred, Nilton Ferreira da Silva, frequentava a mesma pista por hobby. Dessa amizade surgiu, mais de uma década depois, um acordo que envolve um bom dinheiro.

- Se você me pergunta se esse patrocínio foi planejado, não foi. Ele foi ocasional. Nós tínhamos uma verba reservada para patrocínios diversos, e com a ida do Lucas para a Fórmula 1 nós concentramos nossa energia financeira nisso, porque encaixou como uma luva no nosso trabalho. Se eu disser que não existe nada de pessoal eu vou estar mentindo, mas é uma coisa pessoal que se tornou grandiosa e altamente profissional.

Os valores do acordo, que vai até o fim da temporada – assim como o contrato de Di Grassi com a Virgin –, não são revelados, mas são altos, já que envolve toda a verba que a empresa planejava investir em publicidade em 2010.

- Não podemos revelar valores, por uma cláusula de confidencialidade, mas todos vocês aqui sabem que a F-1 é um esporte que envolve muito dinheiro.

Do Louro ao piloto


A Sorocred, que começou há 20 anos em Sorocaba (SP) como uma modesta empresa de factoring e hoje se apresenta como a principal administradora de cartões de crédito do Brasil com capital 100% nacional, acaba de receber do Banco Central a permissão para funcionar como financeira. Entre os planos estão oferecer, além de cartões de crédito, outros tipos de empréstimos e financiamentos, até chegar a operar como um banco comercial.

O Louro José, “colega” da apresentadora Ana Maria Braga, já foi garoto-propaganda da empresa, que hoje aposta num piloto de reconhecido talento, mas que ainda não consegue brilhar nas pistas. Mesmo assim, Ferreira da Silva diz que o investimento, fruto de uma amizade de 10 anos, está valendo a pena.

- Estamos falando de Fórmula 1, um dos eventos esportivos mais grandiosos do mundo. Vale muito a pena estar lá. O retorno que nós tivemos nas primeiras corridas foi maior do que o esperado, já valeu o investimento. E agora que a Fórmula está chegando à Europa, e o carro do Lucas está melhorando, com certeza vamos ter mais exposição ainda.
Confira também

Mais lidas nesse momento