Ibope de Gugu deflagra crise na Record

O horário nobre de domingo foi catastrófico para a Record e desencadeou uma crise sem precedentes na emissora. Motivo: o fraco ibope obtido pela maior estrela da casa, Gugu Liberato.

Há pelo menos um mês são ouvidas queixas cada vez mais altas de bispos da Universal, em cargos de direção na emissora, sobre o desempenho de Gugu.

Ontem, a crise subiu de tom ainda mais. Isso porque a Record mudou o horário do programa, que começou perto das 21h. Também houve investimento e muita divulgação de um novo quadro, no qual o apresentador bate á porta de uma casa e presenteia o morador com R$ 250 mil.

Também houve outro quadro, intitulado "Pegadinha com Famosos", no qual o eleito para a brincadeira foi André Segatti. A audiência nesse momento foi uma das menores da atração.

O resultado, no entanto, ficou muito aquém das expectativas e durante boa parte do programa Gugu, segundo dados prévios de audiência, amargou um quarto lugar no ibope, atrás de Globo, SBT e Rede TV, respectivamente com 21, 12, 10 e 8,4.

A irritação dos bispos é ainda maior porque, segundo eles, o apresentador recebe o horário com altos índices obtidos pelo "Domingo Espetacular", e rapidamente perde ibope para os concorrentes.

Também há críticas sobre alguns quadros, como o que tinha Simony, Mara Maravilha e Sergio Malandro como "jurados". Esse quadro já foi limado do ar.

Gugu foi contratado no ano passado, com salário divulgado de R$ 3 milhões mensais, e desde que estreou tem sofrido críticas de bispos, que exigem ibope.

Mais lidas nesse momento