Homepage
RSS
Twitter

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Busca
publicidade

Romaria do Piauí trata da migração forçada e do trabalho escravo

31/07/2009 • 16:49
Romeiros de todas as dioceses piauiense participarão da 11ª Romaria da Terra e da Água do Piauí que acontecerá neste final de semana, dias 1 e 2 de agosto, na cidade de Corrente do Piauí, na Diocese de Bom Jesus do Gurguéia. A Romaria acontece a cada dois anos e este ano terá como tema “Migração Forçada e Trabalho Escravo” e como lema “Desci para libertar o meu povo”.

A Romaria da Terra é um evento organizado pelo Regional Nordeste IV da CNBB, que reúne as oito dioceses piauienses. A expectativa é de que participarão cinco mil romeiros de todas as dioceses do Estado. A cidade já está preparada para recebê-los e aguarda que esta 11ª romaria, evento ao mesmo tempo religioso e social, seja o maior já realizado no município.

A Arquidiocese de Teresina organizou caravanas. Cerca de 12 ônibus levarão os romeiros à Corrente, com partida nesta sexta-feira (31/07), às 20h30, do Pavilhão de Feiras e Eventos, Governador Guilherme Melo, no bairro Tabuleta. Momentos antes da partida, os romeiros da Arquidiocese participarão de uma celebração presidida por padre Deodato, às 19h30.

A equipe central que organiza o evento ressalta que abordar a problemática da migração forçada é de extrema importância para o povo do Piauí, Estado brasileiro campeão em exportação de mão-de-obra para o sucroalcooleiro e agronegócio: o corte de cana, a colheita de frutas e o trabalho manual em fazendas de criação de gado.

“Convencionamos chamar este tipo de saída de “migração forçada” porque as pessoas não migram pelo simples fato de querer migrar ou porque a acepção da vida admite. Migram, ao contrário, porque são forçadas a migrar, porque não têm trabalho, emprego, salário e nem amparo dos órgãos oficiais, responsáveis por eles. Assim, convencionamos chamar de Trabalho Escravo ou em condições análogas as de trabalho escravo, pelas péssimas condições em que vivem e trabalham os migrantes forçados, pela falta de contrato, seguridade e salubridade que normatizem e assegurem seus direitos e por tudo aquilo que vai de encontro ao respeito à dignidade da pessoa”, explica Ir. Darcilla Antoniolli, da Pastoral do Migrante e da coordenação do evento.

“Diante dessa realidade não podemos nos manter indiferentes, é preciso sair em romaria, convocando nossa sociedade para o debate e procurar soluções para esses que sofrem com o trabalho escavo e a migração forçada, para que eles possam ter dignidade e boas condições de trabalho”, comenta o seminarista Leandro Leal.

Segundo Ir. Darcilla, Corrente do Piauí foi escolhida como sede da Romaria deste ano, por ser uma das cidades que é porta de entrada e saída de trabalhadores para o trabalho escravo. Um trabalho forçado que o migrante faz em busca da sobrevivência em outros estados, e por isso, a Igreja católica do Piauí se reúne para dar visibilidade a este problema e ajudar a encontrar soluções para o drama das vítimas piauienses.

Dados da Comissão Pastoral da Terra (CPT) afirmam que em 2008 foram resgatados 5.244 trabalhadores em atividades consideradas mão-de-obra escrava. “Dados oficiais apontam o Piauí como o estado campeão em exportação de mão-de-obra escrava, com ônibus que saem lotados de trabalhadores rumo a São Paulo, Mato Grosso, Minas Gerais” disse a Ir. Darcilla.

VIAGEM ROMEIROS ARQUIDIOCESE DE TERESINA
SAÍDA: HOJE (31/07/2009)
HORÁRIO: 20H30
LOCAL: PAVILHÃO DE FEIRAS E EVENTOS, GOVERNADOR GUILHERME MELO (PIAUÍ CENTER MODA), NO BAIRRO TABULETA
  • Comentários

  • Facebook

COMENTE

Seja o primeiro a comentar

Últimas Notícias
próximo anterior veja mais notícias
COMPARTILHE COM AMIGOS
ENVIE SEU COMENTÁRIO

Os comentários feitos por leitores são de inteira responsabilidade de seus autores.
O Portal AZ não responde pelo conteúdo postado nesse espaço.

portal az - Informação de Verdade
Todos os direitos reservados © 2000 - 2014