PRF: Operação resulta em mais de 200 t de excesso de peso

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) realizou no período de 22 a 28 de abril de 2010, a operação intitulada ‘Carga Pesada’ que tinha como objetivo coibir a circulação de veículos com excesso de peso. A operação aconteceu em todas as 5 delegacias da 17ª SRPRF, ou seja, em Teresina,  Piripiri, Floriano, Picos e Floriano. Ao final da operação foram constatados 217.492 quilogramas de excesso.

A PRF tem trabalhado diuturnamente no combate ao transporte com excesso de peso, que é uma das principais causas do surgimento de buracos, afundamento do asfalto nas rodovias que cortam todo o país. Estudos comprovam que um veículo de carga com um excesso de 30% da sua capacidade diminui a vida útil do asfalto das rodovias em 50%.

Segundo os estudiosos e especialistas no assunto, de cada 1% de excesso de peso num eixo isolado provoca aumento de 4,32% no desgaste do pavimento, isso significa que uma rodovia projetada e construída para durar dez anos tem sua vida útil reduzida para 8,1 anos com sobrecarga de 5%, 7,3 anos com sobrecarga de 7,5% e 4,5 anos com sobrecarga de 20%.

O excesso no transporte causa prejuízos materiais como desgaste do carro, dos pneus , maior consumo de combustível e acidentes, muitas vezes com perda de vidas. Assim o custo operacional de um veículo aumenta de maneira progressiva e significativa com o estado de conservação das rodovias.

A Polícia Rodoviária Federal do Piauí registrou nos últimos quatro anos 8.603 autuações por excesso de peso, sendo 1.081 autuações no ano de 2006, 1.443 autuações em 2007, 1.707 autuações em 2008 e 3.474 autuações no ano de 2009 e no ano de 2010, até o dia 27/04, foram 898 motoristas flagrados com excesso. O valor das multas varia de acordo com o excesso de carga verificado, ficando o veículo retido até que seja feito o trasbordo da carga excedente para outro veículo.

As Resoluções 210/06 e 211/06 do CONTRAN elevaram de 45t para 57t o limite de peso bruto dos veículos homologados para circular livremente e dispensou a Autorização Especial de Trânsito (AET) para o bitrem de 57t, sete eixos e comprimento de até 19,80m, homologaram para livre circulação as “Vanderléias”(carretas com eixos distanciados) para peso bruto de até 53t, e os “Romeu-e-Juliêta”(caminhões tracionando reboques) de até 57t entre outras alterações na legislação. Por sua vez, a Resolução 258/07 tornou mais rigorosa as normas de controle de peso por eixo.

Convém lembrar ainda, que a durabilidade de um pavimento depende também da qualidade de sua construção, das características do solo e das condições ambientais, mas a principal causa ainda é o tráfego de veículos pesados. Foi a constatação de que o excesso de peso nas rodovias federais provocava prejuízo de R$1,5 bilhão por ano que levou o Tribunal de Contas da União a solicitar ao CONTRAN urgência na regulamentação do assunto no ano de 2007.

Distante de ser um problema exclusivo dos governos federal, estadual e municipal ou das concessionárias, a deterioração prematura do pavimento também afeta financeiramente o transportador. O custo operacional de um veículo aumenta de maneira progressiva e significativa com o estado de conservação das rodovias. Este aumento supera 42% quando se trafega por uma via cujo estado de conservação é considerado somente regular, chegando a dobrar se a condição for considerada péssima. Portanto, o transportador deve ser o maior interessado em preservar a boa condição de rolamento das rodovias.

É necessário restabelecer as leis de controle de peso ao seu objetivo original, protegendo os transportadores, a sociedade; aumentar a fiscalização, com o uso de balanças e policiamento; e punir exemplarmente os infratores. Outra ação necessária é educativa, no sentido de mostrar aos caminhoneiros que seu ganho ao transportar mais carga por eixo aumenta o risco de acidentes, o desgaste do veículo e o consumo do combustível, além de trazer prejuízo ao país.

De acordo com o Superintendente da Polícia Rodoviária em Teresina, Inspetor Bernardo Val, a PRF está preparada para desencadear sempre que necessário operações de combate ao excesso de peso bem como o combate a quaisquer irregularidades nas rodovias federais.

Mais lidas nesse momento