Sindicato dos Jonalistas do Piauí repudia agressão a repórter

A agressão e a prisão do jornalista Edmundo Moreira, na última quarta-feira quando cobria uma sessão da Câmara Municipal de Timon, revoltou a direção do Sindicato dos Jornalistas do Estado do Piauí. Na manhã desta quinta-feira, a direção do Sindicato divulgou uma nota de repúdio à ação considerada donosa ao jornalismo sério e independente e, sobretudo, à própria democracia.

Leia na íntegra a nota de repúdio:


A diretoria do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Piauí vem a público condenar veementemente e manifestar o seu repúdio a covarde agressão sofrida pelo jornalista EDMUNDO MOREIRA DA SILVA, que no exercício do jornalismo sofreu censura, humilhação e ainda foi preso e algemado mesmo não oferecendo resistência num ato desumano, agressivo e de atentado à liberdade de imprensa e aos direitos humanos.

Edmundo apenas fazia a cobertura jornalística da sessão na Câmara Municipal de Timon, no Estado do Maranhão, dia 28 de abril de 2010, e procurava mostrar à sociedade da cidade os debates travados naquela Casa Legislativa. Diante de tal agressão à liberdade individual do profissional, o Sindicato manifesta apoio ao mesmo no sentido de garatir-lhe o reparo dos danos morais pela intimidação e abuso sofrido dos agentes da Guarda Municipal de Timon e Polícia Militar que agiram com truculência contra o jornalista no seu exercício profissionar.

É lamentável que fato como esse de censura e agressividade à liberdade de imprensa ainda ocorra por parte das autoridades políticas e policiais, exigindo do Governo do Estado do Maranhão e do Secretaria Estadual de Segurança Pública providências necessárias no sentido de fazer valer a ética profissional e o bom uso do aparelho policial do Estado.

O Sindicato dos Jornalistas está comunicando o fato à Federação Nacional dos Jornalistas, bem como aos demais sindicatos de jornalistas do país e às organizações internacionais de combate à violência contra profissionais da imprensa, a fim de que constem em seus anais e relatórios de Direitos Humanos.
Também colocou à disposição do jornalista a Assessoria Jurídica da entidade para adotar as medidas judiciais cabíveis em sua defesa, caso seja preciso. Reafirmamos, portanto, a nossa intransigente luta pela liberdade de imprensa e pelos direitos humanos

Teresina, 29 de abril de 2010

A Diretoria

Mais lidas nesse momento