1. Editorias
  2. Geral
  3. Procuradora Geral retorna promotor de justiça às funções em Luís Correia
Publicidade

Procuradora Geral retorna promotor de justiça às funções em Luís Correia

Ela deu provimento ao recurso com pedido de reconsideração interposto pela diretoria da APMP

A Procuradora-Geral de Justiça, Carmelina Moura determinou o retorno do promotor de justiça Galeno Aristóteles Coêlho de Sá às suas funções em Luís Correia. 

Ela deu provimento ao recurso com pedido de reconsideração interposto pela diretoria da Associação Piauiense do Ministério Público (APMP). 

Galeno Aristóteles Coêlho de Sá (Foto: MP-PI)

Na mesma decisão ficou determinada a apuração da quebra de sigilo da outra determinacão que afastou o  membro do MP.

Para a entidade representativa dos promotores de justiça o gesto da procuradora geral de justiça foi “uma decisão sabia e acertada, que corrigiu um equívoco e uma injustiça! De parabéns o Galeno e toda classe ministerial que viu restabelecida sua independência funcional e a autonomia do Ministério Público.”

Entenda o caso 

Atuando nas investigações sobre suposta prática de grilagem de terras em Luís Correia, envolvendo personalidades da política, do meio empresarial e até magistrados, Galeno Aristoteles chegou a denunciar ao CNJ o desembargador Erivan José Lopes. E também denunciou vários supostos grileiros.

Matérias relacionadas:

Gaeco revela que presos na primeira fase da Escamoteamento fizeram delação

Desembargador diz que denúncia contra ele no CNJ é ato de vingança e nega relações espúrias com denunciados    

Gravações desmentem entrevista concedida pelo desembargador Erivan Lopes

Desembargador Erivan Lopes é denunciado pelo Ministério Público ao CNJ

Desembargador suspende pedido de prisão do Gaeco contra Luís Neto    

Polícia faz buscas na casa da delegada Cassandra Moraes; marido é considerado foragido

Advogado diz que investigado em grilagem de terras vai se apresentar quando tiver acesso ao processo

Conheça detalhes da denúncia do MP e decisão do juiz sobre suspeitos de grilagem de terras    

 Empresário e advogado negam grilagem de terras em Luís Correia

A Procuradora-Geral de Justiça, Carmelina Moura determinou o retorno do promotor de justiça Galeno Aristóteles Coêlho de Sá às suas funções em Luís Correia. 

Ela deu provimento ao recurso com pedido de reconsideração interposto pela diretoria da Associação Piauiense do Ministério Público (APMP). 

Galeno Aristóteles Coêlho de Sá (Foto: MP-PI)

Na mesma decisão ficou determinada a apuração da quebra de sigilo da outra determinacão que afastou o  membro do MP.

Para a entidade representativa dos promotores de justiça o gesto da procuradora geral de justiça foi “uma decisão sabia e acertada, que corrigiu um equívoco e uma injustiça! De parabéns o Galeno e toda classe ministerial que viu restabelecida sua independência funcional e a autonomia do Ministério Público.”

Entenda o caso 

Atuando nas investigações sobre suposta prática de grilagem de terras em Luís Correia, envolvendo personalidades da política, do meio empresarial e até magistrados, Galeno Aristoteles chegou a denunciar ao CNJ o desembargador Erivan José Lopes. E também denunciou vários supostos grileiros.

Matérias relacionadas:

Gaeco revela que presos na primeira fase da Escamoteamento fizeram delação

Desembargador diz que denúncia contra ele no CNJ é ato de vingança e nega relações espúrias com denunciados    

Gravações desmentem entrevista concedida pelo desembargador Erivan Lopes

Desembargador Erivan Lopes é denunciado pelo Ministério Público ao CNJ

Desembargador suspende pedido de prisão do Gaeco contra Luís Neto    

Polícia faz buscas na casa da delegada Cassandra Moraes; marido é considerado foragido

Advogado diz que investigado em grilagem de terras vai se apresentar quando tiver acesso ao processo

Conheça detalhes da denúncia do MP e decisão do juiz sobre suspeitos de grilagem de terras    

 Empresário e advogado negam grilagem de terras em Luís Correia