RSS
Twitter
WhatsApp do Portal AZ86 9981.8563

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Busca
publicidade

Arqueólogos encontram ossadas em terreno de igreja de Porto Alegre

14/07/2012 • 17:01
As obras de restauração da Cúria Metropolitana de Porto Alegre revelaram, há alguns dias, grandes tesouros arqueológicos escondidos embaixo da terra. Em uma área externa, localizada entre a Catedral e a Cúria, foram desenterradas mais de 50 ossadas, além de louças, porcelanas, restos de vestimentas e outros pequenos objetos.

Esse local funcionou como cemitério de 1772 até 1850, quando foi fechado pelo intendente Duque de Caxias, alegando superlotação e questões de sanidade. Segundo o padre Luís Inácio Ledur, administrador da Arquidiocese de Porto Alegre, a Igreja Católica sabia que aquela área havia sido utilizada como cemitério (o segundo da capital gaúcha). "Só não achávamos que iríamos encontrar tantos fragmentos", revela.

"Todo o terreno era cemitério. Em qualquer lugar, vamos encontrar fragmentos históricos", conta o pároco. Entre os objetos encontrados, está um botão que pertenceu a um militar da guarda de Dom Pedro II.

A disposição das ossadas permite uma avaliação sobre a periodicidade dos sepultamentos na época. De acordo com o padre Ledur, os corpos foram enterrados em diversas camadas. "Alguns, provavelmente mortes provocadas por guerras e epidemias, estão em valas", explica.

"Toda aquela área tem, para nós, uma importância muito grande. Os maiores tesouros históricos culturais estão guardados ali, mas sem acesso ao público em geral. Esse é o objetivo desse trabalho", afirma. Esses tesouros, segundo o administrador da Arquidiocese de Porto Alegre, são três: as peças arqueológicas descobertas durante o trabalho de restauração, as obras "mais preciosas" da arte sacra, que estão guardadas em uma sala da Cúria, e o arquivo histórico, pois, de acordo com ele, "toda a documentação anterior ao Império era feita pela Igreja Católica e tudo está guardado".

Todo o material encontrado, exceto as ossadas, será transferido para um local aberto à visitação. A ideia é criar um museu de Arte Sacra, abrigando o que foi encontrado no antigo cemitério e as obras sacras guardadas na Cúria. "Algumas são do século XVII", explica o pároco.

As ossadas vão passar por exames de DNA para identificar sexo e grau de parentesco entre as pessoas que foram enterradas ali. Depois, os restos mortais serão novamente sepultados em outro lugar.

Atraso nas obras

A descoberta vai causar um atraso no cronograma da obra de restauração da Cúria Metropolitana. Inicialmente prevista para terminar em 2014, as escavações devem continuar e esse prazo dificilmente será cumprido. "Porque é um trabalho muito cuidadoso, com espátulas, com pincéis", explica o padre Luís Inácio Ledur.

O projeto

A restauração da Cúria Metropolitana de Porto Alegre começou em outubro de 2009 e prevê o resgate da arquitetura original do prédio, inaugurado em 1888. Além da instalação do museu de Arte Sacra, quando o projeto estiver concluído, a biblioteca, estará aberta ao público e todo o seu acervo histórico disponível para consulta. Além disso, deverá ser construído um terraço para abrigar atividades culturais, um estacionamento e uma cafeteria.

Fonte: Terra.com.br
  • Comentários

  • Facebook

COMENTE

Seja o primeiro a comentar

Últimas Notícias
próximo anterior veja mais notícias
COMPARTILHE COM AMIGOS
ENVIE SEU COMENTÁRIO

Os comentários feitos por leitores são de inteira responsabilidade de seus autores.
O Portal AZ não responde pelo conteúdo postado nesse espaço.

portal az - Informação de Verdade
Todos os direitos reservados © 2000 - 2014