Coreia do Sul barra temporariamente importação de produtos de frango da BRF

Comissão Europeia afirma que vai suspender empresas envolvidas na fraude

A Coreia do Sul vai intensificar a fiscalização de carne de frango importada do Brasil e banir temporariamente as vendas de produtos da BRF após o escândalo deflagrado pela Operação Carne Fraca na semana passada, informou o Ministério de Agricultura sul-coreano em comunicado nesta segunda-feira. E um porta-voz da Comissão Europeia afirmou nesta segunda-feira que está monitorando a importação de carnes do Brasil e que vai suspender empresas que estiverem envolvidas na fraude.

- A Comissão vai assegurar que quaisquer dos estabelecimentos implicados na fraude fiquem suspensos das exportações para a União Europeia - disse um porta-voz, durante coletiva regular à imprensa, acrescentanto, no entanto, que o escândalo da carne não teria impacto nas negociações em curso no momento para um acordo comercial entre União Europeia e Mercosul.

O ministério da Coreia do Sul disse que fornecedores brasileiros de carne de frango terão que enviar um certificado de saúde emitido pelo governo brasileiro. Mais de 80% das 107.400 toneladas de frango importadas pela Coreia do Sul no ano passado vieram do Brasil, sendo quase metade fornecida pela BRF.

A Coreia do Sul é o sétimo maior mercado para o frango brasileiro. Os três maiores compradores são Arábia Saudita, China e Japão, nesta ordem. Segundo maior mercado para o frango brasileiro e comprador relevante de carnes - foram US$ 2 bilhões só em 2016 -, a China acompanha com lupa os desdobramentos das investigações da Operação Carne Fraca. Por enquanto, não há sinais de que a China estaria disposta a suspender as importações brasileiras de carnes. Mas o governo do Brasil ainda não descarta essa possibilidade.

Mais lidas nesse momento