Reunião científica 2017: evento tratou sobre a contribuição da tomossíntese no diagnóstico mamário

O encontro, destinado para médicos convidados, foi realizado no restaurante Cabaña del Primo

Na última semana, a Oncomédica promoveu sua primeira edição da reunião científica de 2017, desta vez em parceria com a Med Imagem. O debate que abriu o ciclo de palestras deste ano tratou sobre a tomossíntese mamária, aparelho que está revolucionando a forma de se fazer mamografia e que já está disponível na Med Imagem - único centro médico no Piauí que possui o equipamento. O evento foi realizado no restaurante Cabaña Del Primo para médicos convidados.

Os principais oncologistas, mastologistas e radiologistas do Piauí assistiram à palestra do médico convidado de São Paulo (SP), Dr. Guilherme Silva Rossi - especialista em radiologia e diagnóstico por imagem - que falou sobre a contribuição da tomossíntese no diagnóstico do câncer de mama e os benefícios que o aparelho tem sobre a mamografia tradicional.

“Proporcionar esse encontro com os especialistas da área é muito enriquecedor pela troca de informações e disseminação de ideias. Mas é importante também que essa troca seja feita entre o médico e o paciente, que ele questione o profissional para que sempre o mesmo possa trazer e proporcionar o melhor no atendimento", destacou o médico convidado.

O método de TOMOSSÍNTESE é um sistema de mamografia trazido para o Brasil pela GE Healthcare. Consiste em uma tecnologia de aquisição de imagens tridimensionais (imagens 3D) que utiliza varredura de baixa dose de raios X ao redor da mama, proporcionando diagnósticos mais precisos, com redução na taxa de reconvocação e dos resultados falso-positivos. Em comparação com a mamografia tradicional, o exame é capaz aumentar em 30% a taxa de diagnóstico do câncer de mama.

Os oncologistas da Oncomédica marcaram presença durante o evento. Para o Dr. Cláudio Rocha, o novo aparelho será de grande valia no diagnóstico do câncer de mama. "É mais um recurso para o médico e paciente no rastreamento da doença. A tomossíntese vai proporcionar mais segurança na detecção dos casos", salientou. Além dele, a diretora médica da clínica, Dra. Nilshelena Bezerra, os oncologistas Danilo Fonseca e Sávia Normando também assistiram à reunião. O mastologista da Med Imagem, Dr. Aloisio Luz, também marcou presença no evento.

Mais lidas nesse momento