Enfermeiros param Samu, HUT, Caps e demais hospitais da Prefeitura de Teresina

Profissionais se concentram na FMS

O atendimento do Samu, Caps e demais hospitais da Prefeitura de Teresina, incluindo o HUT, estão prejudicados com uma paralisação deflagrada pelos enfermeiros, técnicos e auxiliares. Eles reclamam que a Prefeitura Municipal retirou o adicional de insalubridade das categorias e a Fundação Municipal de Saúde não negocia.

“No Samu, por exemplo, até os pneus das ambulâncias estão 'carecas'. Faltam até luvas e material de trabalho nos hospitais”, reclama Melquesedec Pereira de Araújo, conhecido como “Enfermeiro Melque”, dizendo que as condições de trabalho para o pessoal da saúde da Prefeitura de Teresina são as piores possíveis.

A paralisação acontece nesta segunda-feira (20/03) e terça (21). Os profissionais não descartam uma greve geral por tempo indeterminado.

Só 30% dos enfermeiros estão trabalhando para garantir o funcionamento do serviço essencial. Significa que somente 30% da frota do Samu atende a chamados nas ruas de Teresina.

Os profissionais se concentraram em frente a Fundação Municipal de Saúde (FMS), na zona norte de Teresina.

Palavra da FMS

O presidente da Fundação Municipal de Saúde, médico Sílvio Mendes, recebeu representantes dos manifestantes. Disse que a questão da insalubridade deve ser analisada caso a caso. Só pode ter o beneficio quem tem direito por lei. Uma comissão técnica, com peritos, foi criada para analisar e tudo em até 120 dias. Deverá, inclusive, fazer perícia nos setores em que os profissionais trabalham.

Quem já teve insalubridade cortada, deve entrar com recurso administrativo ou judicial para ser reanalizada a situação. A FMS só poderá pagar aquele que tem direito por lei, para não incorrer em improbidade, como informa Sílvio Mendes.

Quanto a situação de falta de material, Sílvio Mendes disse que já negociou com os fornecedores e a situação está sendo regularizada.

Para o Samu, a Prefeitura de Teresina reconhece que a frota é antiga e informa que já comprou (com recursos próprios) cinco novas ambulâncias que nos próximos dias estarão nas ruas. Ainda esta semana, Sílvio Mendes será recebido no Ministério da Saúde. A pauta é a renovação de toda a frota do Samu em Teresina. 

Corte no ponto dos enfermeiros

Sílvio Mendes informou que se os profissionais de saúde voltarem amanhã (terça-feira - 21) ao trabalho, o dia de hoje (20) não será descontado nos salários deles, mas caso contrário, pegarão falta nos dois dias de paralisação. A categoria decidirá a questão em assembléia geral.

Mais lidas nesse momento