Em planilha da Odebrecht "patrão" e "tucano" receberam R$ 750 mil de propina

Departamento de propina da Odebrecht teria enviado dois pagamentos para Teresina

Em menos de 72 horas depois que foram divulgados, no Portal AZ e, também no Diário do Povo, valores supostamente recebidos por um primo do prefeito Firmino Filho, dinheiro oriundo de propina da construtora Odebrecht, o Portal AZ teve acesso a uma planilha de liberação de novos pagamentos e, desta vez, destinado a personagens conhecidos pelo apelidos de Tucano e Patrão, que pode relacionar a políticos de Teresina. O total das remessas chega a R$ 750 mil.

Firmino Filho
Firmino Filho

Em 26 de julho de 2012 o departamento de propina da Odebrecht enviou dois pagamentos para Teresina.  No valor de R$ 100 mil com a rubrica "subdelegação Teresina" tendo o codinome 'tucano' e a senha ‘Alfinete’. De acordo com a planilha (veja abaixo) os pagamentos teriam sido realizados em REC, que pode significar abreviação de Recife.

O outro pagamento, de R$ 250 mil se destinava a “subdelegação Teresina”. Desta vez o beneficiado tinha o codinome de ‘Patrão’ e a senha para receber o dinheiro era ‘Tesoura’.

Essa planilha foi entregue por um dos delatores da lava jato cujo vídeo ainda se mantém inédito, não foi divulgado, mas é muito revelador sobre os personagens que compõem esse cenário.

A subdelegação vem a ser todo esse emaranhado relacionado ao processo de licitação da Agespisa, que se encontra judicializado, por conta de posição do TCE-PI de julgar recursos de uma das empresas concorrentes, a Águas do Brasil. 

Os pagamentos de propina para Teresina foram enviados para o endereço de e-mail chamado ‘Waterloo’, denominação da batalha vencida pelo imperador Napoleão Bonaparte, em 1815, na Bélgica.

Já em 23 de agosto, na mesma rubrica "subdelegação Teresina" aparece de novo o Tucano recebendo mais RS 150 mil e o primo R$ 250 mil. Desta vez as senhas mudam. Para receber o dinheiro usaram respectivamente ‘pagina’ e ‘folha’.

Em menos de um mês os personagens citados receberam R$ 750 mil. Numa guerra dessas nem Napoleão venceria.

Tudo isso veio à tona depois da delação de Alexandre Barradas que reserva um capítulo inteiro para o prefeito Firmino Filho (PSDB), com quem teria tratado de negócios relacionados ao serviço de concessão da Agespisa.

Veja abaixo a planilha que detalha pagamento feito para "subdelegação Teresina".

Sobre a ARSETE

A Agência Municipal de Regulação de Públicos de Teresina (Arsete), foi criada através da Lei Municipal Nº 3.600, de 22 de dezembro de 2006, sob a forma de autarquia de regime especial, vinculada ao Gabinete do Prefeito, com a função de entidade reguladora, normatizadora, de controle e fiscalização dos serviços públicos do município de Teresina. Entrou em atividade no início do terceiro mandato do prefeito Firmino Filho, em 2013. Ele aparelhou e criou os cargos da agência.

Inicialmente, disporá sobre a regulação, normatização, controle e fiscalização dos serviços de saneamento básico do município de Teresina, sendo que os demais serviços públicos deverão ser tratados em leis posteriores.

Mais lidas nesse momento