Jovens talentos são destaques no mundo por suas habilidades na área educacional

Não é de hoje que o Piauí se sobressai em relação a alunos com altas habilidades

Apesar da infância difícil, o piauiense Carlos Eduardo de Santana Bastos, de apenas 17 anos, tem uma história de superação e de coragem. Natural do município de São Raimundo Nonato, localizado a 521,9 Km de Teresina, Carlos decidiu ingressar no Instituto Federal do Piauí (IFPI) para cursar o Ensino Médio/Integrado em Informática.

Por mais incrível que pareça, Carlos teve o primeiro contato com os UH durante o curso no IFPI.  “Foi ai que tive o primeiro contato com a Informática. Logo de início me apaixonei por esse mundo e não via minha vida sem a informática”, narrou o jovem. Diante da curiosidade e do empenho de Carlos nas aulas, o professor de informática, Dann Luciano de Menezes, apresentou ao aluno a OBI (Olimpíada Brasileira de Informática).

No primeiro ano do curso, o jovem teve instruções sobre programação com o professor. Com o estímulo para participar da OBI, o jovem decidiu participar da Olimpíada no ano seguinte, onde obteve o 100º lugar no ranking geral. “Com isso, eu e os professores percebemos que poderíamos melhorar essa colocação”, relatou Carlos.

O jovem piauiense Carlos Eduardo de Santana Bastos, de apenas 17 anos, é campeão da OBI. Foto: IFPI
O jovem piauiense Carlos Eduardo de Santana Bastos, de apenas 17 anos, é campeão da OBI. Foto: IFPI

A partir daí, o jovem intensificou seus estudos na área e também em Matemática. “Meus professores de informática me recrutaram e começaram a trabalhar  mais comigo, sempre me passando conteúdos e tirando dúvidas. Quanto mais eu aprendia, mais conteúdos eles passavam. Em paralelo a isso, fui percebendo a necessidade de aprender também matemática (a maior parte dos problemas da OBI requerem um bom conhecimento na disciplina), com isso eu também comecei a estudar bem mais do que a maioria dos outros alunos”.

Assim, o piauiense conseguiu a medalha de bronze na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas em 2016. “Cada vez mais, eu me encantava com esse mundo  de desafios”, disse. Já no 3º ano do Ensino médio, o jovem decidiu fazer novamente a OBI, onde conquistou o 24º no Ranking Geral.

Carlos Eduardo e o professor de Informática Dann Luciano. // Foto: Arquivo pessoal.
Carlos Eduardo e o professor de Informática Dann Luciano. // Foto: Arquivo pessoal.

“Tive minha primeira premiação na mesma (Honra ao mérito), isso na modalidade programação nível 2. Só que eu e meus professores percebemos que ainda dava para melhorar essa colocação. Foi quando passei a dedicar a maioria do meu tempo pra estudar para a OBI, de 18 às 22h. Me dedicava nesse período para o estudo da mesma e também de matemática. E sempre que tinha algum tempo livre eu estudava mais”, acrescentou Carlos.

Persistência e dedicação

Após horas e mais horas de dedicação, o jovem conquistou o 6º colocado no Ranking Geral da OBI. Por causa dessa colocação, o aluno participará da Semana Olímpica em dezembro, que será promovida em Campinas (SP).  “Fui premiado com medalha de prata e fui convidado a participar da Semana Olímpica, onde acontecerá a premiação para os melhores colocados e também a seletiva para compor a equipe que representará o Brasil na Olimpíada Internacional de Informática, que acontecerá no ano que vem no Japão”, disse entusiasmado.

Apesar das dificuldades que enfrentou desde a infância, o jovem encara os estudos como a oportunidade para vencer na vida. “Então, como eu vim do interior, de uma família que não tem tantas condições financeiras, a única saída para ser alguém na vida foi estudando. Isso foi à peça chave. Agradeço o professor Dann Luciano de Menezes, porque ele me apresentou a Olimpíada Brasileira de Informática e esse mundo dos algoritmos. E também, porque me deu todo o suporte e orientação para que eu pudesse me preparar para a OBI”, declarou o jovem.

O Cidade Olímpica Educacional (programa desenvolvido pela Prefeitura de Teresina) conquistou em 2015, a marca histórica de 51 medalhas em olimpíadas de Matemática, Física, Química, Astronomia e Língua Portuguesa. O número representa 65% a mais do que o ano passado, quando os estudantes participaram de algumas competições nacionais pela primeira vez. O objetivo é preparar para as competições de conhecimento os alunos de escolas públicas considerados de altas habilidades. 

Talentosos e brilhantes

O resultado das escolas do Piauí no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2015, divulgado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), mostrou que o estado teve quatro escolas entre as 10 melhores médias de redação e uma unidade entre as 10 melhores médias na prova objetiva, ambos resultados nacionais. Entre as unidades públicas, a campeã de medalhas na olimpíada de matemática Unidade Escolar Augustinho Brandão, de Cocal dos Alves, teve a melhor média na prova objetiva.

Confira as 20 escolas do Piauí com as maiores médias nas provas objetivas do Enem 2015:

1. Instituto Dom Barreto - Teresina - privada - média 717,82
2. Educandário Santa Maria Goretti - Teresina - privada - média 692,72
3. Cev Colegio Unidade Jockey - Teresina - privada - média 689,53
4. Colegio Lerote - Teresina - privada - média687,70
5. Centro Educacional Objetivo - Teresina - privada - média 673,65
6. Anbeas - Colégio Sagrado Coracao de Jesus - Teresina - privada - média 672,45
7. Instituto Educacional São Jose Unidade Mocambinho - Teresina - privada - média 665,53
8. CPI Sistema de Ensino - Teresina - privada - média - média 658,06
9. Colégio Procampus - Teresina - privada - média 657,64
10. Escola Popular Madre Maria Villac - Teresina - privada - média 650,65
11. Centro Objetivo de Ensino - Teresina - privada - média 642,67
12. Colégio São Francisco de Sales - Teresina - privada - média 642,55
13. Escola Dom Bosco - Teresina - privada - média 636,64
14. Instituto Educacional da Crianca - INEC - Teresina - privada - média 626,40
15. Mérito D’Martonne - Teresina - privada - média 621,05
16. Colégio Integral - Teresina - privada - média 619,88
17. Escola Cidadão Cidadã - Teresina - privada - média 618,39
18. CEV Colégio - Teresina - privada - média 612,74
19. Colégio Nossa Senhora das Gracas - Parnaíba - privada - média 606,47
20. Escola Santa Helena - Teresina - privada - média 597,31

Convém acrescentar que o Piauí foi novamente, o Estado com menor índice de candidatos que faltaram à prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2017. Enquanto no Brasil o índice de abstenção foi 32%, apenas 26,2% de estudantes piauienses não compareceram ao Enem. Em 2016, o Estado também obteve a maior presença nas provas.

Do Piauí para o mundo

Não é de hoje que o Piauí se sobressai em relação a alunos com altas habilidades – aqueles que também são chamados de “superdotados” ou "gênios". Em 2013, aos 25 anos, o estudante de Teresina Pedro Felipe de Oliveira Santos se tornou o juiz mais jovem do país.

O piauiense Pedro Felipe de Oliveira Santos se tornou o mais jovem juiz federal do país. Foto: Ascom
O piauiense Pedro Felipe de Oliveira Santos se tornou o mais jovem juiz federal do país. Foto: Ascom

Além disso, também foi aprovado em outros concursos públicos bastante concorridos, como o de procurador e defensor público, sempre entre os primeiros lugares. Formado em Direito pela UnB (Universidade de Brasília), o jovem piauiense concluiu recentemente, o mestrado em Harvard. E continua brilhando com sua trajetória de sucesso, ministrando aulas, palestras e sendo exemplo para outros jovens no país que almejam aprovação em um concurso público.

Mais lidas nesse momento