Diretor de presídio no Piauí se nega a receber preso cadeirante

Documento alega que a unidade prisional não dispõe de estrutura física adequada para custodiá-lo.

O diretor do presídio de Oeiras, distante 313 quilômetros de Teresina, Isau de Sousa Moura, se recusou a receber o preso Welton Alves Batista, que é deficiente físico, procedente do município de Simplício Mendes. O detento havia sido preso sob acusação de tráfico de drogas e porte ilegal de arma.

No documento de recusa, Isau de Sousa alega que o preso é cadeirante e que a unidade prisional não dispõe de estrutura física adequada para custodiá-lo.

O preso teve que voltar para a Delegacia de Simplício Mendes, onde o delegado Luciano Santana diz não saber o que fazer.

“Ele está no xadrez sem nenhuma acessibilidade. Não é responsabilidade da Polícia Civil fazer a custódia de presos”, diz, ressaltando que as delegacias não recebem recursos destinados para a alimentação de presos e que a questão de salubridade é indigna, visto que nem banho de sol o preso tem.

Welton Alves Batista foi capturado em flagrante na tarde do dia 31 de outubro passado, quando uma guarnição da Força Tática, de Simplício Mendes, efetuou a prisão em flagrante de Welton e Jaime da Silva com drogas e arma.

Mais lidas nesse momento