Criando factoides

Desde o início desta terça-feira correu célere em grupos das redes sociais e até em sites uma informação bem ao estilo das coisas encomendadas de que por decisão do CNJ, os atuais dirigentes do Tribunal de Justiça do Piauí podem concorrer à reeleição. Apenas e tão-somente criando factoides, extraíram essa pérola da decisão do Conselho, em sede liminar, do Procedimento de Controle Administrativo (PCA), de autoria do desembargador Edvaldo Moura, que se insurgiu contra a resolução que prorrogava os mandatos e que retirou a menção expressa sobre tempo do mandato, alterou a data de eleição dos membros dos órgãos diretivos e ainda mudou a data da posse para a sessão solene de instalação do ano judiciário subsequente.

Leia mais na coluna do jornalista Arimatéia Azevedo

Mais lidas nesse momento