A inércia do Poder

“Você quer ser atendido às 16 horas em algum cartório de Teresina? Chegue lá às seis da manhã”. É assim que se mede o tamanho da humilhação e sofrimento dos que precisam dos serviços cartorários em Teresina. A prestação de serviços beira a irresponsabilidade, notadamente nos cartórios sob intervenção do Tribunal de Justiça do Piauí. A medida judicial da corregedoria, que começou pelo famoso ‘Naila Bucar’, fechou o ‘Nazareno Araújo’ e está de olho em outros, invoca o argumento de que trará melhoria. Piora. E muito. As filas para um simples reconhecimento de firma são de matar de vergonha os responsáveis pelo funcionamento desses estabelecimentos.

Leia mais na coluna do jornalista Arimatéia Azevedo

Mais lidas nesse momento