Governo investe para uma Teresina cada vez mais saudável

Investindo em infraestrutura e na expansão de serviços

Teresina é uma referência regional por seu polo em saúde. A capital que acolhe a todos, daqui e de fora, seja bebê ou adulto, que vem em busca de assistência ambulatorial e hospitalar nas mais diversas especialidades médicas. São para essas pessoas, que necessitam de uma atenção especial, que o Governo do Piauí traçou um plano em que a saúde, por ser um importante bem, é estratégica e também resolutiva. Para isso, investe em infraestrutura, tecnologia e pessoal, garantindo para quem mora em Teresina ou que aqui está, mas mora em outro lugar do nosso Piauí, que possa desfrutar uma vida cada vez mais saudável.

A capital da saúde e a referência em alta complexidade recebe investimentos continuados da Secretaria de Estado da Saúde na melhoria da assistência hospitalar na rede estadual, do atendimento materno-infantil aos cuidados dos adultos, em diversas áreas. Ampliação de consultas ambulatoriais especializadas, uso de técnicas inovadoras em procedimentos cirúrgicos, abertura de leitos de Terapia Intensiva adulta e neonatal são alguns exemplos do que já é realidade. E o futuro já está planejando, com recursos garantidos seja para abertura de mais leitos de UTI.

Esse conjunto de ações visa proporcionar o melhor acolhimento ao usuário do Sistema Único de Saúde (SUS), oferecendo uma assistência adequada e resolutiva, na rede formada por sete hospitais na capital: Infantil Lucídio Portela, Getúlio Vargas, Instituto de Doenças Tropicais Natan Portela, Polícia Militar, Areolino de Abreu, Mocambinho e a Maternidade Dona Evangelina Rosa. São investimentos em infraestrutura e na a expansão de novos serviços.

No Hospital Getúlio Vargas, por exemplo, que é a referência em alta complexidade para o Piauí e estados vizinhos, foram entregues quatro novos leitos de UTI, contando agora com 20 leitos de Unidade de Terapia Intensiva(UTI). E mais estão por vir, com a licitação de 20 leitos.

Mais UTI significa que mais procedimentos cirúrgicos em alta complexidade podem ser realizados, uma vez que algumas cirurgias necessitam que o paciente tenha garantido um leito após o procedimento. E o Estado trabalha para que isso aconteça, não somente no HGV, como também no Hospital da Polícia Militar, que está em fase de conclusão 10 leitos de UTI; no Infantil, em elaboração de projeto, 11 leitos, e no Natan Portela, com mais três leitos, que já foi autorizado o início das obras.

Os cuidados com os pequenos também tiveram grande avanço, com a abertura de 10 leitos de UTI neonatal na Maternidade Dona Evangelina Rosa, que vem passando por um processo de reestruturação tanto na parte física, como de pessoal e de equipamentos. Ganham as mamães, os papais e toda a família, que contam ainda com a Casa da Gestante, espaço de assistência às mamães e bebês, que necessitam de cuidados especiais, com equipe multiprofissional, mas sem necessariamente precisar ficar internada. 

Mais atendimento

Para dar maior assistência médica aos usuários do SUS e num esforço contínuo para zerar a fila por procedimentos cirúrgicos, a Secretaria de Estado da Saúde também centra suas ações na realização de mutirões, como no Getúlio Vargas e Infantil. Sejam nos feriados ou finais de semana, as equipes atuam nas mais diversas especialidades, como ortopedia, ginecologia e cirurgia vascular. Somente no HGV, no período de maio de 2015 a julho de 2017, foram 85 mutirões, beneficiando 2.400 pessoas.

O aumento na oferta de consultas também é uma realidade: o Infantil triplicou o número de consultas e o HGV abriu o terceiro turno para o Ambulatório do Trabalhador. Esse serviço facilita o acesso para as pessoas que trabalham durante o dia e não tem tempo de realizar uma consulta médica.

Já no Hospital da Polícia Militar foi implantado o Serviço de Referência Odontológica à Pessoa com Deficiência Intelectual e Autismo que funciona no anexo do Hospital da Polícia Militar (HPM), com capacidade de realizar dez atendimentos ambulatoriais por dia e 20 procedimentos eletivos ao mês.

A estrutura é toda adequada às pessoas com necessidades especiais, contando com uma sala de atendimento odontológico e duas enfermarias, uma masculina e outra feminina, e cadeira adaptável para cadeirantes e consultório móvel para que os pacientes possam ser levados até o centro cirúrgico.

Nova Maternidade

Para garantir a assistência em alta complexidade nos cuidados à gestante e ao bebê, a Secretaria de Estado da Saúde vai iniciar neste mês a construção da maternidade de referência estadual materno infantil.

As novas instalações da Maternidade vão funcionar no bairro Morada do Sol, na zona Leste da capital, no local que abrigava o Clube de Oficiais da Polícia Militar do Piauí. O projeto já está licitado e a empresa que vai executar a obra foi contratada, cuja ordem de serviço também está liberada.

Com o valor estimado de R$ 84 milhões, cujos recursos estão garantidos por emenda parlamentar dos deputados Assis Carvalho e Iracema Portela, assim como do Governo do Estado, a nova maternidade terá uma estrutura moderna, com espaço físico mais adequado e capacidade para dobrar o número de atendimento em unidade de tratamento intensivo. Serão 20 unidades de UTI adulta, 30 leitos de UTI neonatal. O local contará, ainda com 45 leitos de Cuidados Intermediários e 20 de leitos Intermediários Canguru, que é um espaço para acolhimento de mãe e bebê.