Wellington inaugura presídio e anuncia novas obras para Campo Maior

Governador ainda garante novo curso de formação para agentes penitenciários

O sistema prisional do Piauí foi reforçado com a inauguração da Penitenciária Regional José de Arimatéia Barbosa Leite, em Campo Maior, nessa segunda-feira (13). A nova unidade tem 160 vagas e é o segundo presídio aberto pelo Governo do Estado em dois anos. Construído com recursos advindos do Tesouro Estadual, a implantação do complexo prisional é fruto de importante parceria institucional do Poder Executivo com o Poder Judiciário.

Foto: Jorge Bastos
Foto: Jorge Bastos

Com um montante de investimentos no valor de R$ 4,6 milhões, o presídio faz com que o estado supere a marca de 400 vagas abertas pela Secretaria de Justiça desde 2015. O secretário de Estado da Justiça, Daniel Oliveira, adiantou ainda o início do curso de formação de novos agentes penitenciários para suprir o aumento no número de vagas no sistema prisional.

“Nós já anunciamos, com o governador, a partir do dia 3 de janeiro, o curso de formação para agentes penitenciários, novos servidores, e estamos já com todas as condições de modernizar a penitenciária de Campo Maior e garantir novos investimentos para o estado do Piauí”, afirmou Oliveira.

Representando o Ministro da Justiça, Torquato Jardim, esteve presente na inauguração do novo presídio piauiense o diretor-geral do Departamento Nacional Penitenciário (Depen), Jefferson de Almeida. De acordo com o departamento federal, mais de 700 mil pessoas vivem privadas de liberdade no Brasil.

Para o diretor-geral do Depen, a abertura do presídio vai de encontro ao problema das superlotações nos presídios. “A inauguração desta unidade prisional vem contribuir com a diminuição do déficit de vagas que existe no sistema penitenciário nacional. É muito importante a inauguração desta unidade, ela é compacta, de fácil gestão e atende todas as regras que dizem respeito às assistências. Vai permitir educação, vai permitir trabalho e assistência médica às pessoas privadas de liberdade. Então, nesse sentido, é um grande passo para o Governo do Piauí”, destacou Jefferson de Almeida.

Na solenidade de inauguração também foram entregues ao presídio novos armamentos e equipamentos de proteção individual. O novo presídio está localizado na Avenida. Nilo Oliveira, s/n, Localidade Fazendinha, próximo ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí (IFPI) de Campo Maior.

Segurança para a região

Tranquilizando a população local sobre os possíveis riscos de implantação do presídio na região, o governador falou sobre as medidas projetadas pelo governo estadual para reforçar a segurança. “Ninguém gosta de cemitério, ninguém gosta de penitenciária, assim como ninguém gosta de necrotério. O fato é que isso é uma necessidade da sociedade. Com a mesma responsabilidade que estamos implantando este presídio, estamos reforçando o sistema de policiamento, oferecendo não só viaturas como outros equipamentos”, explicou Wellington.

Dias ainda falou dos reflexos econômicos que a implantação traz para o município de Campo Maior como a compra de alimentos e de combustível para as viaturas, que será obrigatoriamente feito no município.

A coordenadora de Engenharia da Sejus, Socorro Seabra, informou que o presídio conta com celas individuais e setor de triagem para recebimento das famílias. A unidade conta ainda com uma casa de vistoria, uma escola e um módulo de visita íntima. “Os pavilhões são construídos em concreto armado, ao contrário dos presídios antigos, feitos em alvenaria. Isso tudo é para dar suporte de segurança e para que o detento seja um reeducando que saia melhor do que quando chegou”, pontuou Seabra.

Na estrutura, o presídio regional de Campo Maior abriga caixa d’água, sistema anti-incêndios e estacionamentos internos e externos.

Foto: Jorge Bastos
Foto: Jorge Bastos

Educar para ressocializar

A ressocialização é um ponto forte nas penitenciárias do Piauí, garante o secretário da Justiça. De acordo com Daniel Oliveira, em outubro, o Piauí chegou a mrca de mais de 30% da população carcerária estudando regularmente e se preparando o Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem. “Nossos detentos estão participando de curso de formação, de leitura. Estamos garantindo, com isso, que o Piauí seja um exemplo para o Brasil nesse segmento”, destacou o gestor.

Homenagem

O nome da Penitenciária de Campo Maior é uma homenagem ao agente penitenciário José de Arimateia Barbosa Leite que faleceu em agosto deste ano. Com 30 anos de serviço, Arimatéia iniciou a carreira na Sejus em 1987. Nos primeiros anos de serviço, exerceu a função de motorista e, em seguida, a de agente penitenciário. Trabalhou na Colônia Agrícola Penal Major César Oliveira, na Casa de Albergados de Teresina, na Penitenciária Regional Irmão Guido e na Casa de Custódia Professor José Ribamar Leite.  

Outras obras

Na solenidade em Campo Maior, o governador anunciou a previsão para conclusão da licitação para asfaltamento da estrada que liga a cidade ao município de Coivaras, prevista para o próximo dia 16. Além de uma viatura disponível para o presídio, Dias garantiu que duas novas viaturas serão disponibilizadas para Campo Maior e outras seis para municípios da região, reforçando a segurança local.