Agentes de Picos e Oeiras participam de curso de armamento e tiro

Novas capacitações também estão previstas para Floriano e Bom Jesus

Agentes penitenciários que trabalham nas unidades de Picos e Oeiras participam de curso básico de armamento e tiro nos dias 26, 27 e 28 de abril. A capacitação de horas-aula é pré-requisito para a aquisição das 500 pistolas que estão sendo concedidas aos agentes pela Secretaria de Justiça. 

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Desde o final do ano passado, os cursos já contemplaram cerca de 300 agentes penitenciários das unidade de Teresina, Parnaíba, Esperantina e São Raimundo Nonato. Ministradas por profissionais habilitados, registrados por instituições credenciadas, as capacitações contam com instrutores da polícias Civil e Militar e agentes penitenciários especializados na área. 

Instrutor da Acadepen do Piauí e professor convidado a ministrar treinamentos em outros estados, o agente penitenciário Delfran Rodrigues faz a capacitação dos profissionais que passam por etapas de avaliação para portar o armamento. “O curso habilita o agente a portar arma de fogo. Primeiro o agente passa por um exame psicotécnico e depois o curso técnico de tiro, que avalia se ele tem capacidade ou não de usar a arma de fogo que está sendo adquirida pela Secretaria de Justiça”, assegurou. 

Na primeira etapa de cursos realizados em unidades do norte do Estado, foram investidos cerca de R$ 85 mil. Na segunda etapa, além do curso previsto para Picos, duas capacitações ainda deverão ser feitas este ano nos municípios de Bom Jesus e Floriano. 

“Contamos também com recursos do Estado para logística e deslocamento e já estamos com R$ 100 mil oriundos do Funpen para concluirmos o trabalho em todo o interior do Piauí, onde houver penitenciárias e estandes de tiro reconhecidas pelo setor competente no município”, explicou o diretor da Academia Penitenciária do Piauí (Acadepen).