Rio: funerária é suspeita de forjar morte de traficante

A funerária Rio Pax, suspeita de forjar o atestado de óbito do americano Osama Mohamed El-Atari, é investigada por ser apontada pela polícia como responsável por falsificar também o enterro do traficante "Nem" da favela da Rocinha, na zona sul do Rio de Janeiro. Um médico e dois agentes funerários foram presos suspeitos de falsificar o atestado do americano. As informações são da rádio CBN.

Osama Mohamed El-Atari foi preso nos EUA. Ele á acusado de enganar bancos para pegar empréstimos que chegariam a R$ 100 milhões. Procurado pelo FBI (polícia federal americana), ele teria forjado a própria morte no Brasil. Para o titular da delegacia de Defraudações, Robson Ferreira da Silva, os funcionários que falsificaram o atestado do americano fazem parte da mesma quadrilha que falsificou o enterro do traficante. "Acreditamos que seja uma quadrilha de médio porte", afirmou. O traficante está foragido.

Mais lidas nesse momento