MP determina a polícia investigar padre, empresário e professor no escândalo da pedofilia

A promotora de Justiça Vera Lúcia Santos recebeu do Portal AZ áudios de denúncias de pedofilia e exploração sexual contra meninos e meninas em Teresina.

A promotora de Justiça Vera Lúcia Santos, da Vara da Infância e da Juventude, recebeu do Portal AZ áudios contendo uma série de denúncias de pedofilia e exploração sexual contra meninos e meninas em Teresina. A representante do Ministério Público encaminhará o caso para que seja detalhadamente investigado pela Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente (DPCA).

O material foi colhido durante a fase de produção da matéria Impunidade transforma Teresina na capital da exploração sexual de crianças e adolescentes,publicada na última semana.

As delegadas Kátia Esteves e Tatiana Nunes Trigueiro deverão, nos próximos dias, intimar um padre que há mais de três décadas estaria cometendo crime de pedofilia em Teresina, o dono de uma ONG que, inclusive, recebe dinheiro público para tirar meninos das ruas, mas também estaria abusando sexualmente de meninos há cerca de 20 anos e um empresário do ramo de postos de combustíveis, também apontado como abusador sexual de meninas pobres da periferia.

Promotora Vera Lúcia
Promotora Vera Lúcia

De acordo com o mapa da pedofilia e exploração sexual, traçado por educadores de rua, o padre, o professor (dono de ONG) e o empresário são os principais citados por meninos e meninas da periferia de Teresina. O Portal AZ seguirá mantendo os nomes dos investigados em sigilo até o resultado final das investigações.

O Ministério Público Estadual aguarda possíveis provas coletadas pela Polícia Civil para denunciar os acusados à Justiça.

“Aqui são muitos os casos de estupro de vulnerável. É a principal demanda. Para esse tipo de estupro, a pena vai de oito a 15 anos de reclusão. É aplicada contra quem abusa de menor de 14 anos de idade”, disse a promotora Vera Lúcia.

Pelos documentos e gravações recebidas a promotora disse que também pedirá ajuda a Polícia Civil de Caxias, já que no Povoado Canaã, zona rural do município maranhense, existe uma casa abandonada que seria usada pelo padre  de Teresina para abusar de meninos.

A casa abandonada que vizinhos denunciam ser usada para abusos
A casa abandonada que vizinhos denunciam ser usada para abusos

Fotos da casa e depoimentos de vizinhos deverão chegar “as mãos” da polícia maranhense. Na referida casa, até morte já teria acontecido. Há denúncia de que um adolescente matou outro e jogou o corpo em um poço dentro do terreno.

São muitos os casos
A promotora Vera Lúcia mostra os números: no ano de 2015 ela recebeu 2.632 casos de violência contra crianças e adolescentes, a maioria relata estupro de vulnerável.

De janeiro de 2016 até hoje (11/07), até meio dia, foram 138 casos de violência. Os números são somente de Teresina. São tantos casos que fazem a Promotoria da Infância e da Juventude ser a maior em número de abertura de procedimentos investigativos e de apresentação de denúncia ao Judiciário.

 

Denuncie

Não fique indiferente quando se deparar com uma situação de violência sexual contra crianças e adolescentes. Denuncie! Além do disque 100 que funciona diariamente, das 8 às 22h, inclusive nos finais de semana e feriados, você pode encaminhar sua denuncia ao Portal AZ através do telefone 9 9981-8563 ou do e-mail azcombateaexploracao@gmail.com. Sua identidade será mantida em total sigilo.

Mais lidas nesse momento