Manifestantes incendeiam ônibus na Frei Serafim contra aumento da passagem

Tropa de Choque foi acionada

Fotos: Fernando Gonzaga

Um ônibus coletivo da empresa Taguatur foi queimado no início da noite desta segunda-feira (09), próximo ao cruzamento entre as avenidas Frei Serafim e Desembargador Pires de Castro, no Centro de Teresina, durante uma manifestação contra o aumento da passagem do transporte coletivo.

O protesto teve início já no final da tarde. Os manifestantes interditaram parte da Avenida Frei Serafim e  Rua Arlindo Nogueira, próximo à Praça do Fripisa. Por conta disso, o trânsito ficou lento e alguns ônibus ficaram sem rodar durante um tempo.

Já por volta das 18h15, alguns dos participantes atearam fogo no veículo. A Prefeitura de Teresina afirmou ao Portal AZ que suspeita que pessoas de outros segmentos estivessem entre os estudantes e poderiam ter praticado o ato.

Motoristas que passavam perto do local relataram ter ouvido tiros durante o protesto e tiveram que mudar a rota.

Policiais militares foram acionados. Equipes da Força Tática e Tropa de Choque estiveram no local, juntamete com o Corpo de Bombeiros. 

Aumento da passagem

A passagem inteira passou a ser R$ 3,30 desde a última sexta-feira, dia 06. Já a tarifa do transporte coletivo municipal para os estudantes permanece congelada em R$ 1,05. Este é o sexto ano consecutivo que a classe estudantil paga a tarifa nesse valor.

O realinhamento dos preços foi definido com base em planilhas de custos analisadas e aprovadas pelo Conselho Municipal de Transportes Coletivos, que reúne representantes de instituições públicas, usuários e operadores de transporte representantes de diversas categorias, como servidores públicos, estudantes, empresários e sociedade civil organizada.

Para chegar ao valor de R$ 3,30, o Conselho Municipal de Transportes Coletivos levou em consideração o valor dos insumos para manutenção do sistema e os investimentos realizados para melhoria do transporte público.

Em referência à tarifa dos estudantes, o valor congelado corresponde a 32% da passagem normal.  Diferente da meia passagem que é cobrada na maioria das cidades, em Teresina a classe estudantil vai pagar apenas um terço do valor normal.

A Prefeitura ressalta que o realinhamento da tarifa foi necessário para manter o serviço em funcionamento, considerando vários custos como os salários dos servidores do sistema, que teve reajuste de 7,39%, e o preço dos veículos, que ficou 15,24% mais caros.

O Conselho Municipal de Transportes Coletivos que definiu o reajuste tem o objetivo de estabelecer as diretrizes básicas da Política de Transportes de Teresina. Entre suas atribuições está a de avaliar a planilha de cálculos da tarifa de transportes públicos e taximétricos, após acompanhamento dos estudos.

Veja abaixo o vídeo.

Mais lidas nesse momento