Polícia Civil prende um dos acusados de matar administrador

Delegado contou que um dos acusados era conhecido da vítima

A Polícia Civil de Timon prendeu na manhã do último domingo (18) um homem identificado como José Jesus Pinto Neto, conhecido como “Paizim”, de 19 anos. Ele é acusado de participar na morte de Marco Antonio Oliveira, desaparecido no dia 4 de junho e localizado em um carro incinerado em estrada vicinal na BR 226, em Timon (MA).

De acordo com o delegado Antônio Valente, da Delegacia de Homicídios de Timon, a polícia recebeu informações da população local que Paizim estava envolvido diretamente no caso. “Ele e mais dois comparsas acabaram praticando o assassinato ainda no dia do desaparecimento da vítima. O caso ainda não está esclarecido, estamos em buscas de outras prisões, inclusivedícios de que um deles é um menor de idade”, ressaltou.

Marco Antônio Oliveira
Marco Antônio Oliveira

O delegado disse ainda que um dos suspeitos era conhecido da Marco Antonio. “A vítima estava passando de carro pela BR 316 e avistou os três. Um deles era conhecido da vítima e ele [Marco Antonio] teria parado o carro para chamar esta pessoa para ir a um bar conversar. Esse conhecido dele acabou o convencendo a levar os dois amigos. Assim que entraram no carro os aacusados decidiram que iriam praticar o assalto. Lá resolveram ceifar a vida de Marco, justamente por ele conhecer um deles”, afirmou o delegado Antônio Valente.

Segundo o delegado Valente, Paizim negou que teria incendiado o carro com a vítima. “Levaram ele [Marco Antonio] para aquela região de uma estrada vicinal bem afastada e lá no local o tiraram do carro e levaram para dentro do mato. Um deles deu uma gravata nele, que fez com que ficasse desacordado enquanto os outros dois davam golpes. Um deles usou um pedaço de ferro para desferir golpes na região do pescoço da vítima. E após isso, roubaram um anel de formatura e R$ 50. Nós ainda estamos em busca da localização do aparelho celular da vítima. O Paizim alegou que eles não atearam fogo no veículo e que subtraíram apenas duas rodas mas ainda estamos investigando se isso procede”, finalizou.

Paizim estava foragido da justiça maranhense por ter rompido tornozeleira eletrônica de monitoramento. A polícia já identificou outros dois suspeitos.

Entenda o caso

Marco Antonio desapareceu depois de sair da casa dos pais sem dar maiores informações e apenas afirmado que voltaria para o almoço, mas não o fez. Depois de dois dias de sumiço, a polícia chegou a localizar o aparelho celular do jovem em um local abandonado.

A família chegou a oferecer recompensa para informações do paradeiro do jovem.

No dia 11 de junho, o carro e o corpo do jovem administrador foi encontrado carbonizado pelos policiais em Timon. Familiares de Marco Antônio foram acionados e reconheceram pertences do jovem que estavam no interior do veículo.

Mais lidas nesse momento