Oficial do Exército mandou flores antes de matar a namorada em Teresina

O militar confessou o crime e a mãe da vítima disse que ele mandou flores antes de matar a estudante

O Instituto de Medicina Legal (IML) de Teresina liberou, no final da manhã desta segunda-feira (19/06), o corpo da estudante de arquitetura Iarla Lima Barbosa, de 25 anos, assassinada durante a madrugada pelo oficial do Exército, José Ricardo da Silva Neto, 22 anos.

Iarla Lima Barbosa
Iarla Lima Barbosa

Os dois estudavam na mesma faculdade. O acusado fazia o curso de Direito. O casal começou um relacionamento no dia 12 de junho passado (Dia dos Namorados).

No IML, ao reconhecer e tratar dos procedimentos para liberação do corpo da filha, a professora Dulcinéia Lima da Silva disse que o velório e sepultamento de Iarla ocorrerá na cidade de Governador Eugênio Barros, no Maranhão.

Iarla veio ao Piauí para estudar. Ela morava em Timon. A irmã dela, Ailana Lima Barbosa (22 anos) e a amiga Joseane Mesquita, que também foram feridas, estão fora de risco de morte.

O oficial do Exército se encontra preso e já confessou detalhes do crime. Ele conquistou Iarla mandando flores no Dia dos Namorados. 

O Exército já abriu procedimento administrativo para expulsar Silva Neto. Ele era considerado um oficial de bom comportamento. Na polícia, o oficial disse lembrar apenas que estava com ciúmes da namorada porque ela havia dançado com amigos no Bendido Boteco, onde estavam até minutos antes do ataque de fúria do militar.

Como aconteceu

A discussão entre o casal iniciou no Bendito Boteco, quando a vítima dançou com um amigo. O oficial ficou com ciúmes. Ele teria chamado a namorada, a irmã e a amiga da namorada para irem embora.

Na altura da avenida Nossa Senhora de Fátima, iniciaram um "bate-boca", resultando com o oficial sacando uma pistola e atirando dentro do próprio veículo.

As balas atingiram além de Iarla, a irmã dela (de raspão na cabeça), e a amiga (no braço). Apavoradas, as duas conseguiram sair do veículo ainda em movimento.

Com Iarla morta no banco do passageiro, Silva Neto dirigiu o carro até a garagem de seu apartamento, no Cajuína Residence, no bairro Santa Isabel, na zona leste da capital.

O oficial se trancou no banheiro do apartamento e atirou na própria coxa. Policiais acreditam que ele se feriu para alegar que a mulher havia tomado a arma e o baleado antes do crime.

Militares que chegaram ao apartamento do acusado negociaram, e ele acabou se entregando.

Mais lidas nesse momento