Ex-prefeito é inocentado de acusações e vai reclamar danos morais sofridos

Por Rômulo Maia

A Justiça Federal inocentou o ex-prefeito de Canto do Buriti, Eurimar Nunes, das acusações de improbidade administrativa a que respondia desde 2006 e pelas quais teve os direitos políticos suspensos por três anos.

O Ministério Público Federal acusou o gestor de não prestar contas de convênios firmados com o Ministérios da Saúde e da Educação entre os anos de 1997 e 2000, período do seu mandato.

A defesa do prefeito provou que na prestação de contas apresentada ao Ministério da Saúde não havia irregularidades. Já no caso do MEC, um canhoto de protocolo comprovou que foi o próprio órgão quem perdeu a documentação.

O gestor era acusado de não ter prestado contas de convênio no valor de R$ 18.200 destinados à manutenção de escolas públicas municipais. O sumiço do calhamaço de papeis aconteceu quando da extinção do delegacia regional do MEC no Piauí.

A condenação nos dois casos prejudicou Eurimar politicamente. Candidato a prefeito nas eleições de 2008, o político teve o registro cassado há oito dias do pleito e o grupo político que ele liderava foi derrotado nas urnas. “O que eu passei não tem como reverter. Os adversários usaram isso inclusive para me atacar”, desabafa o político.

Inocentado nos dois casos, ele afirma que vai acionar seus advogados para reclamar da União os danos morais sofridos.

Mais lidas nesse momento