Eleições gerais vão custar quase R$ 11 milhões no Piauí

As eleições gerais deste ano devem custar aos cofres públicos cerca de R$ 11 milhões no Piauí. A previsão é da própria Justiça Eleitoral que já confirmou o gasto de pouco mais de R$ 6,4 milhões com aquisição de material de serviço, permanente e contratação de serviços. O restante do valor, que deve girar em torno de R$ 4,4 milhões, será para o pagamento de pessoal.

“O valor exato para aquisição do material e serviços ficou em R$ 6.416.856,20, ou seja, quase R$ 130 mil a menos que o gasto nas eleições gerais de 2006”, disse em nota a assessoria de imprensa do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Piauí. “Quanto ao pagamento de pessoal, que inclui magistrados, promotores e funcionários dos correios, o valor estipulado até o momento é de R$ 4,4 milhões”, concluiu.

Esse valor alto com pessoal consiste no pagamento de diárias extraordinárias entre sábado à noite e no domingo, dia três de outubro. Em 2006, foram desembolsados R$ 4,435 milhões com pessoal naquele pleito. Segundo o TRE-PI, a previsão é que o gasto deste ano seja o mesmo ou R$ 200 mil menor. Já nas últimas eleições, em 2008, o pagamento de pessoal foi de R$ 2,247 milhões. Porém, o pleito era municipal.

Cerca de 29 mil mesários, sendo quatro por sessão, deverão atuar nessas eleições, apontada como a maior de todos os tempos. Ao todo são 7,2 mil sessões espalhadas em 98 zonas eleitorais. Quase 300 funcionários do TRE-PI também vão estar em ação durante o pleito, além juízes e promotores. Deverão ser utilizadas mais de 9 mil urnas eletrônicas, incluindo ai as biométricas que serão utilizadas em Batalha e Piracuruca.

Mais lidas nesse momento