Cícero Magalhães acredita na condenação de Lula: “As cartas já estão todas marcadas”

O ex-presidente foi condenado pelo Sergio Moro, no caso do tríplex do Guarujá

O deputado estadual Cícero Magalhães endossou o discurso já adotado por muitos petitas e aliados após a marcação do julgamento dos recursos do ex-presidente Lula, que acontecerá dia 24 de janeiro do próximo ano. Para Cícero o ex-presidente será condenado: “As cartas já estão todas marcadas”.

“Acho que a condenação deve vir nessa segunda instância; espero que não venha, mas as cartas já estão todas marcadas. Mas acredito também que vai ter alguma instância que vai fazer justiça”, disse o deputado em entrevista concedida a um canal de TV local na tarde desta quarta-feira (13).

“O Lula nasceu para ser condenado por perseguição por poderosos, às vezes até pelo judiciário, às vezes por muitos daqueles que são donos do Brasil, mas sempre ele recebeu um salvo conduto e foi inocentado pelo povo brasileiro. O que se vê hoje no Brasil é uma coisa de rasgar completamente a constituição. O crime que ele cometeu? Fez um bom governo para o povo do Piauí e do Brasil”, acrescentou Magalhães.

Deputado estadual Cícero Magalhães, do PT (Foto: Divulgação/Alepi)
Deputado estadual Cícero Magalhães, do PT (Foto: Divulgação/Alepi)

O parlamentar também criticou a antecipação e publicização da data do julgamento.

“Como é que o judiciário marca um julgamento e faz questão de publicizar de um ano para o outro? Isso só acontece é porque é contra Luiz Inácio Lula da Silva”.

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) julgará em janeiro de 2018 o recurso de Lula contra condenação (a nove anos e meio de prisão), pelo juiz Sergio Moro, no caso do tríplex do Guarujá, investigado pela Operação Lava Jato.

Eleições 2018

O deputado petista ainda analisou a briga entre PP e PMDB por mais espaço na chapa majoritária comandada por Wellington Dias. Sobre o assunto Cícero resolveu não escolher um lado. “Estou do lado do Partido dos Trabalhadores, do lado do povo do Piauí. São dois partidos importantes; são aliados de primeira hora”, despistou ele.

Mais lidas nesse momento