PSD «dá a mão ao país e não ao Governo»

O presidente do PSD não quer ouvir falar de um bloco central, formado pelo seu partido e pelo partido do Governo. Passos Coelho faz questão de sublinhar que o PSD estendeu a mão ao país e não ao executivo.

Passos Coelho admite necessidade de cooperar com o executivo para estabilizar as finanças portuguesas e garantir o cumprimento dos compromissos nacionais

«Para que o país vivesse num bloco central, teria de haver um Governo entre o PSD e o PS e não estamos a falar de nenhum Governo entre os dois partidos nem sequer de um acordo político de Governo», disse Pedro Passos Coelho aos jornalistas, durante uma visita à Ovibeja, citado pela Lusa.

«O que estamos a falar é da necessidade de cooperar, nomeadamente com o Governo, para que a estabilização financeira em Portugal se faça e para que os nossos compromissos internacionais não estejam em causa», explicou.

Sócrates e Passos Coelho (TIAGO PETINGA / LUSA)

Mais lidas nesse momento