Temer chama ministros e relator de parecer favorável na CCJ para discutir denúncia

O parecer de Abi-Ackel será votado em plenário, em sessão marcada para o próximo dia 2

O presidente Michel Temer se reuniu em Brasília, com os ministros Antonio Imbassahy (PSDB), Mendonça Filho (DEM) e o deputado tucano Paulo Abi-Ackel (MG) para discutir a crise política.

Abi-Ackel foi o relator do parecer favorável ao presidente na Comissão de Constituição e Justiça.

Ao blog, o deputado disse que foi um almoço descontraído, um "bate-papo sobre a vida", de "amenidades" e que não trataram de política. 

Ele negou ter tratado de cargos do PSDB com o presidente. Ele disse não acreditar em desembarque do partido do governo, e que a relação de Temer com os ministros tucanos é de "completa lealdade".

O parecer de Abi-Ackel foi aprovado na CCJ da Câmara e será votado em plenário. A sessão foi marcada para o dia 2. 

O ministro Imbassahy disse ao blog que o presidente chamou o almoço para discutir assuntos diversos.

Segundo o ministro, Temer voltou a atacar o conteúdo da denúncia por corrupção passiva, apresentada por Rodrigo Janot, afirmando que a peça não tem "razoabilidade".

"Ele está indignado, o presidente tem honradez e vai prosseguir com a pauta das reformas".

Imbassahy afirmou que o governo, agora, vai retomar a articulação para a reforma previdenciária e também tributária.

Perguntado sobre a saída do PSDB do governo, ele disse que a discussão sobre cargos é um debate "raso" e que é "normal" haver reivindicações de outros partidos por cargos, mas reitera o apoio dos tucanos ao governo. 

Sobre a data da votação, ele disse que quem marca a data é o presidente da Câmara, Rodrigo Maia. "Ele já marcou para o dia 2 de agosto, quem marca é ele". 

Mais lidas nesse momento