"Quando eu der a data, é para aprovar", diz Maia sobre votação da reforma da Previdência

Presidente da Câmara não confirma se votação da reforma da Previdência ficará para 2018, mas diz ter certeza que data a ser marcada será a "data da vitória"

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta quarta-feira (13) que quando marcar uma data para a votação da reforma da Previdência, será a “data da vitória”. Ele não confirma se a análise do texto em plenário ficará para 2018.

Rodrigo Maia - DEM-RJ (Foto: Alex Ferreira)
Rodrigo Maia - DEM-RJ (Foto: Alex Ferreira)

O governo vem, nas últimas semanas, negociando para tentar votar a proposta na Câmara ainda neste ano. Maia é um dos principais articuladores nessa discussão.

Nos últimos dias, autoridades do governo e líderes da base aliada têm sinalizado que, por falta de apoio, a votação do texto pode ficar para o ano que vem. A discussão da matéria será iniciada nesta quinta-feira (14), mas a votação vai depender do cálculo de votos das bancadas.

“O relator vai apresentar o relatório amanhã [quinta-feira], vai ter algum debate. Se confirmada a votação na próxima semana, o debate vai se estender amanhã o dia inteiro. Se não, eu acho que o debate vai ser menor amanhã e volta em fevereiro. Mas pode ter certeza. Quando eu der a data, é para aprovar”, disse Maia.

 Por se tratar de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), o texto precisa do apoio de pelo menos 308 deputados em dois turnos de votação. Depois, segue para a análise do Senado, também em dois turnos.

De acordo com Maia, a votação em plenário só será marcada quando as contas do governo estimarem um apoio de ao menos 330 deputados, o que daria uma margem de segurança para a aprovação.

“O dia que eu der uma data, você pode ter certeza que é a data da vitória da reforma da Previdência”, ressaltou.

Mais lidas nesse momento