“Já percorremos a ponte, agora é criar condições para encontro com o futuro”, diz Moreira Franco

Moreira Franco fez uma análise da situação econômica e política que o MDB encontrou o país há dois anos

O ministro de Minas e Energia e presidente da Fundação Ulysses Guimarães (FUG), Moreira Franco, apresentou nesta terça-feira, à cúpula do MDB, em Brasília, o documento “Encontro com o futuro”, produzido pela instituição, e que segundo ele, é uma contribuição do partido para o processo eleitoral deste ano.

Moreira Franco apresentou o Encontro para o Futuro, pois ele é presidente da Fundação Ulysses Guimarães
Moreira Franco apresentou o Encontro para o Futuro, pois ele é presidente da Fundação Ulysses Guimarães

O documento é reforço de outro documento que o partido lançou há três – “”Ponte para o futuro”. “Nós estamos dando um outro passo”, disse.

“Em 2015 a fundação apresentou ao partido, dando o primeiro passo para com coragem enfrentar a mais grave crise econômica da nossa história, e que conseguimos sair dela. E saímos se não tivesse feito uma avaliação detalhada das causas dessa profunda recessão e apresenta em um programa debatido internamente como partido e discutindo amplamente e a Ponte para O Futuro – com caminhos e políticas adequada para enfrentamento da crise”, explicou

Alterativas desastrosas

Na apresentação documento, Moreira Franco fez uma análise da situação econômica e política que o MDB encontrou o país há dois anos, a partir da gestão de Michel Temer.

O ministro criticou os programas apresentados por governos do PT, que segundo, foram alternativas que levaram o País a viver a maior crise econômica da sua história.

“A opção que o MDB tomou foi totalmente distinta daquela que o pensamento econômico brasileiro tem tomado ao longo da nossa história e que tem produzido crises sucessivas a cada 10 anos, aonde os brasileiros perdem o que conquistaram e a economia entra numa profunda dificuldade e o sistema político sente os efeitos da crise econômica”, declarou.

“Aqueles que foram responsáveis pela formulação das alternativas econômica nutriam sonhos de criar uma teoria econômica própria, e a cobaia para essa experiência era o povo brasileiro. E a última tentativa foi a matriz econômica que deu no que deu: desorganizou a economia completamente, nos levou para um buraco de déficit e crise fiscal monumental, nos colocou numa inflação astronômica e numa taxa de juros intolerável e mais de 35 milhões de brasileiros, que na década anterior tinham conquistado melhorias significativas na sua vida, a perderem tudo não só empregos, como tudo que conquistaram”, criticou.

Experiência bem-sucedida

Moreira Franco lembrou que o MDB, diante desse quadro crítico que encontro o País, há 2 anos, foi buscar experiências bem sucedidas, no Brasil, por já terem sido experimentadas, e no mundo.

Moreira Franco falando aos medebistas
Moreira Franco falando aos medebistas

“Buscamos a experiência de todos nós em nossa casa: gastar aquilo que pode; gastar aquilo que ganha; procura sempre manter o nível de endividamento suportável; buscar criar condições para que possa poupar, para não onerar filhos e netos com gastos que não são suportáveis na geração, mas que comprometem as gerações posteriores”, disse.

Moreira citou da cultura da gastança política e eleitoral. “Acabar com isso não é uma tarefa para quem tem medo, para quem não tem espírito público, perseverança. Determinação e coragem para propor as medidas”, disse.

Ponte para o futuro

A história brasileira levou o vice Michel Temer à Presidência do País. “Pela primeira vez na política brasileira tivemos um presidente que tinha um compromisso com um documento discutido em um País inteiro e foi bem aceito porque as propostas eram do conhecimento de todos, vividas, experimentadas, mas difíceis”, enfatizou.

“Com o apoio do MDB e de uma base parlamentar muito sólida, coragem e determinação, presidente Michele Temer, escolhendo uma equipe de pessoas qualificadas na área econômica, implantou tudo que estava escrito no programa “Ponte Para o Futuro”. Muitas coisas não foram feitas ainda. Mas quase a totalidade todas as propostas foram encaminhadas, algumas não foram concluídas, em função do ambiente político-parlamentar”, frisou o ministro.

Encontro com o futuro

Moreira Franco ressaltou aos presentes que “nós estamos num desafio de um processo eleitoral. E nesse processo, as palavras ditam por um candidato, sempre buscam a verdade que vai ao encontro da possibilidade da conquista do voto, e não quando necessariamente é nua e crua”.

“Por isso, a Fundação Ulysses Guimarães resolveu elaborar um documento que fosse a etapa subsequente da “Ponta para o futuro”, que nós já percorremos agora nos cabe criar as condições para nos encontrar com o futuro”, disse, ressaltando que será realizado um grande seminário em Brasília para aprofundar o documento

Até lá, segundo ele, caberá ao presidente Temer discutir as propostas com entidades e núcleos de representação da sociedade, e à Meirelles – agora candidato oficial do partido à presidência -  conversar com os correligionários “para que nós possamos tomar essa decisão com o lastro e a clareza que uma decisão desta natureza nos exige”

Desenvolvimento sustentável

“Eu digo clareza, porque no processo eleitoral nós vamos ter outras alterativas que não sejam as contidas no documento ‘Encontro com o futuro’, porque tivemos no passado alternativas de política econômica quer levaram o País, de 10 em 10 anos, a uma crise econômica e crise política, e nós precioso romper com esse ciclo para termos desenvolvimento sustentável.”

Para o ministro, o momento adequado para que essas alternativas sejam definidas é o processo eleitoral.

“Caberá ao talento daqueles que defendem o seu ponto de vista, a sua determinação pessoal e a capacidade de mobilizar sua estrutura partidária e envolvê-la política e emocionalmente com as propostas que estão postas, teremos um resultado que permita com o apoioo da ampla maioria do povo brasileiro, manter todo esse esforço de garantir ao cidadão brasileiro a possibilidade de viver numa sociedade que seja democrática, as instituições sejam fortes e garantam igualdade de oportunidade a todos”, disse.

“Nesse debate temos que mobilizar toda energia para derrotarmos as alternativas que querem retornar o Brasil que nós conhecemos, combatemos e estamos concertando, para que no futuro o que vivemos no passado”, completou.

Proposta para o Nordeste

O documento “Encontro com o futuro”, segundo Moreira Franca, apresenta pela primeira vez uma proposta para o Nordeste

“O Nordeste abriga 28% da população brasileira e detém apenas 14% da renda nacional. Evidentemente, não há possibilidade de se pensar numa sociedade de igualdade e oportunidade para todos se não mudarmos essa realidade”, disse.

”O que estamos propondo não são políticas que se sustentam no subsídio. Mas políticas que estimulem a mobilização das pessoas para o trabalho e a produção e criar no Nordeste um núcleo que permita fornecer alimento, e sobretudo energia eólica e solar para o Brasil inteiro”, acentuou. “Repetir nesse campo o que se conseguiu no norte do País. Buscar as vantagens locais, pela exploração e estímulos a elas garantir os empregos necessários”, emendou.

Cuidar do Brasil

Moreira Franco acrescentou que “tem uma verdade que é inquestionável e que tem uma característica de há mais de 50 anos: o MDB sabe cuidar do Brasil. O MDB cuida bem do Brasil. E este é nosso destino. E esse documento é para que o partido persiga os mecanismos e as formas para cuidar bem do Brasil”, concluiu.

 

  

Mais lidas nesse momento